Esse assunto gera muitas dúvidas entre as pessoas que pesquisam sobre os poderes da mente. Afinal, a auto-hipnose realmente funciona ou não passa de uma forma de fazer meditação só que com o nome diferente?

Muitos ainda acham que a auto-hipnose se trata de algo mágico ou sobrenatural, enquanto alguns outros mais céticos, acreditam que não passa de uma mera meditação com nome diferente. E tudo isso acaba causando um certo receio e desconfiança quanto a sua utilização.

No entanto, a verdade é que a hipnose e até mesmo a auto-hipnose são mais simples e realistas do que você pode imaginar. Inclusive a sua eficácia já foi comprovada cientificamente.

Aceita que dói menos, meu bem!

Justamente por ser uma técnica comprovada pela ciência, diversos médicos, empresários, coaches e outros profissionais utilizam a hipnose diariamente. Alguns para usar em pacientes, outros para seus alunos e muitos em benefício próprio para manter a concentração e o foco.

Além do fato da hipnose ser uma grande ferramenta de desenvolvimento pessoal, o que pode ser possível a partir do uso da auto-hipnose, uma das técnicas mais conhecidas do mundo da hipnose clínica.

Por isso, se prepare, porque no artigo de hoje você irá aprender o que, de fato é auto-hipnose e como ela pode ajudar no seu dia a dia.

Dá só uma olhada no que vem por aí:

  1. O que é hipnose
  2. A história
  3. E a auto-hipnose?
  4. O que são sugestões?
  5. 5 dicas para criar sugestões corretamente
  6. Para que a auto-hipnose pode servir?
  7. Quando procurar por ajuda profissional

Então, vamos começar esse papo! Boa leitura!


Para começar, o que é hipnose?

Esse é o tipo de pergunta que as pessoas mais fazem quando encontram profissionais especializados na técnica, como os hipnoterapeutas. Isso porque, infelizmente, a técnica ficou conhecida pelos programas de televisão, circos e teatros no qual os hipnotistas faziam seus shows.

Neles, a plateia era convidada a seguir algumas instruções e acabavam protagonizando cenas realmente impressionantes, como a perda de paladar, as mãos coladas, a perda seletiva de memória etc.

Diante da reação dos que foram convidados pelo hipnotista, muitos consideravam a hipnose uma mera ilusão. Por isso, ao longo de anos a hipnose não passava apenas de uma técnica de ilusionismo, ou até mesmo uma mentira total, para alguns outros.

O que as pessoas naquela época e até mesmo hoje não entendem, é que nós não controlamos 95% do poder que a nossa mente possui. E, que fique claro, eu me refiro a nossa mente, que é diferente de cérebro.

Calma, se eu só domino 5% da minha mente, o que acontece com os outros 95%?

Bom… vamos entender primeiro o que é a hipnose.

A hipnose é um procedimento na qual uma sugestão dada por um hipnotista é aceita pela pessoa. Em outras palavras, a hipnose é um estado de relaxamento tão potente que uma sugestão dada pelo hipnotista pode fazer a pessoa acessar  a área mais importante da mente: o subconsciente.

Além disso, diferente do que as pessoas dizem, a hipnose é algo tão simples que você já se hipnotizou  milhares de vezes ao longo da sua vida e nem percebeu isso. Um exemplo clássico é quando você está assistindo um filme, e no momento que acontece uma cena muito triste você começa a chorar.

Nesse caso, você sabe que aquilo tudo não está acontecendo de verdade, mas mesmo assim, você fica 100% imerso naquela história. Por conta disso você se deixa levar pela emoção ao ponto de começar a chorar como se aquilo fosse real.

E isso é um exemplo de que o seu envolvimento com o filme permitiu com que a sugestão dada por ele fosse aceita no seu subconsciente, o que desencadeou a reação emotiva.

Eu sei como é… já fiz isso!

Ou seja, a hipnose acontece no exato momento em que você permite que uma sugestão – boa ou ruim – entre na sua mente. E isso acontece porque você deixou seu senso crítico (ou fator crítico) de lado momentaneamente, e dessa forma ficou em um estado mais suscetível a sugestões externas.

“Hipnose é atravessar o fator crítico da mente consciente e estabelecer um pensamento ou sentimento exclusivo e aceitável na mente subconsciente.”

No entanto, para que você entenda verdadeiramente o que realmente é a hipnose e onde ela atua dentro da nossa cabeça, é preciso conhecer o seu local de trabalho: a mente.

Para você entender de forma clara, a nossa mente é dividida em 3 camadas: Inconsciente, Consciente e Subconsciente. Essa divisão foi chamada por um dos maiores hipnotistas do mundo, de Modelo da Mente.

O modelo da mente

E o nome faz jus ao que realmente é a representação da nossa querida mente. Afinal, cada uma dessas partes é responsável por um tipo de comando na nossa vida – seja física ou emocional –.

E justamente por serem tão importantes é que podemos dizer que elas nos representam em absolutamente tudo. Imagine como um uma esfera dividida em três partes.

Inconsciente: essa parte da mente é responsável por nos manter vivos sem que tenhamos que prestar atenção nela, como a respiração, o piscar os olhos etc.

Consciente: é onde você passa a maior parte do tempo, pois é o nosso elemento racional e nos possibilita raciocinar de forma lógica e analítica do dia a dia. Aqui ainda temos uma poderosa segurança.

Fator crítico: mais conhecido como senso crítico, esse segurança aí é o responsável por filtrar o que pode ou não pode entrar em contato com a próxima parte da mente, o subconsciente. No entanto, quando estamos concentrados e completamente relaxados, esse segurança deixa de ficar tão atento assim e facilita a entrada de sugestões para a próxima fase da mente.

Subconsciente: é aqui que a magia acontece, baby! Além disso, esse é o lugar que representa tudo o que nós realmente somos. Por isso está vinculada aos nossos comportamentos e emoções (é aqui que a hipnose acontece!).

Dessa forma, como você acabou de aprender, hipnose nada mais é do que o momento em que uma sugestão (informação) atravessa o seu fator crítico (a parte analítica da sua mente consciente) e se estabelece dentro da sua mente subconsciente.

Anota essa dica:

“Independentemente do tipo de informação, se ela se estabeleceu dentro do seu subconsciente, é porque ela foi considerada como algo coerente e verdadeiro para VOCÊ. Ou seja, você aceitou essa sugestão, pois você acredita nela.” 

Ao longo de nossas vidas somos bombardeados com milhares de informações que são recebidas, no primeiro momento, pela nossa mente consciente. Posteriormente são analisadas pelo nosso fator crítico.

Para que você entenda melhor, nossa parte analítica se desenvolve até os 7 anos de idade, mais ou menos. Depois disso, já estamos com a maioria das informações estabelecidas na nossa mente do que é certo e errado para acessa nosso subconsciente.

Assim, as informações que forem aceitas como algo congruente, marcante e verdadeiro são transferidas para a nossa mente subconsciente. Com isso se tornam parte da nossa essência.

Conheça o Modelo da mente aqui

Sendo assim, todas as crenças, lembranças, hábitos e comportamentos que nós temos foram modelados e reforçados no nosso subconsciente. Tudo a partir das sugestões que foram aceitas desde a criação com nossos pais até os dias atuais.

E por falar em hábitos, o que você acha de começar o processo de transformação mudando seus hábitos?

Baixe aqui o e-Book INÉDITO e aprenda Como construir hábitos de sucesso!

É como se colocássemos uma semente em nosso subconsciente, que acaba germinando, criando raízes e crescendo cada vez mais com o passar do tempo.

Genial, não é mesmo? E está só começando…

Mas como foi que isso tudo surgiu?

A história por trás dessa técnica

Eu posso dizer que a hipnose é tão antiga quanto as civilizações.

Para começar a entender a origem de todo esse sistema é preciso conhecer o significado do termo hipnose.  A palavra vem do grego hypnos, que pode ser traduzido como sono.

Isso porque, lá em 1500 a.C., no Egito, escritores indicavam em seus papiros que os sacerdotes induziam um estado hipnótico semelhante ao sono.

A partir dessa definição, surgiram os “Templos do Sono”. No Egito, os estudiosos acreditavam que por meio do sono era possível curar as pessoas de suas enfermidades. Por isso, elas ficavam reclusas nesses templos por diversos dias para dormir e buscar sua cura pelo sono.

Até este momento, a hipnose utilizada na antiguidade era ligada à magia, ao misticismo e à religiosidade com objetivos de cura por meio da imaginação, das profecias, da captação de ideias e mensagens dos deuses. Além disso, utilizava-se induções hipnóticas individuais ou em grupos, por meio de danças, cantos, orações, rituais e palavras.

Franz Anton Mesmer

O médico que decidiu estudar a técnica e encontrar uma forma científica de explicar a hipnose foi considerado o percussor da hipnose na era moderna, no entanto, também foi o responsável por dar à hipnose uma imagem negativa que dura até hoje.

Mesmer acreditava que a força magnética – em alta pelas Leis de Newton no final do século XVII – podia ter efeito nos seres humanos. Por isso incluiu o uso da hipnose para auxiliar seus pacientes nos quais utilizava um imã para permitir o fluxo do magnetismo animal dele para o paciente.

Conseguiu induzir sua primeira paciente à hipnose, mas não notou que o imã nada teve a ver com o processo. Com o tempo, Mesmer passou a dar verdadeiros shows de demonstração de sua técnica e de seus “poderes”.

Com isso, as críticas vieram. Foi iniciado um processo de crítica por parte dos demais médicos da época. Ele foi acusado de charlatanismo e fraude, e uma comissão foi instaurada pelo rei da França para investigar suas teorias.

Baron D’Henin de Cuvillers

Foi o primeiro a utilizar o termo “hipnose” em seus trabalhos. Principalmente por ter estudado os antigos escritos do Egito Antigo com seus Deuses do Sono.

James Braid

Descobriu que poderia levar os pacientes a um estado aparentemente igual ao produzido por Mesmer, no entanto com uso do método “ais científicos”. No entanto, acabou percebendo que o estado de hipnose não tem relação alguma com o sono. Foi também o que implementou o termo hipnose no meio científico.

James Esdaile

O médico cirurgião que realizou mais de trezentas cirurgias em um presídio de Calcutá, na Índia, utilizando apenas a hipnose como método de anestesia. Foi a partir de seu método de indução que o Estado Esdaile ficou conhecido hoje em dia, um transe hipnótico tão profundo que é possível anestesiar o corpo com apenas algumas sugestões.

August Liébeault

Fundou a Escola de Nancy, que pesquisava sobre a hipnose e seus fenômenos. Um de seus alunos mais conhecidos foi Sigmund Freud que, posteriormente, utilizou a técnica em casos de histeria.

Sigmund Freud

Foi um dos nomes mais conhecidos da hipnose porque utilizou, em parceria com Liébeault, o estudo que lidavam com casos de histeria. No entanto, o psicoterapeuta acabou desistindo da técnica por considerar que não poderia hipnotizar todos os pacientes.

Hippolyte Bernheim

O Neurologista que começou a explorar em seus estudos como a hipnose poderia colaborar em casos de doenças físicas.

Dave Elman

O primeiro a criar um método duplicável para induzir a hipnose em qualquer pessoa. Dessa forma, seria possível utilizar a técnica como terapia.

Milton Erickson

Psiquiatra responsável por propagar a hipnose como ferramenta eficiente de terapia.

Gerald Kein

Foi aluno de Dave Elman e se tornou o propagador do método utilizado pelo professor de forma centralizada. fundou o primeiro instituto de Hipnoterapia do mundo, a OMNI Hypnosis Training Center.

Entendeu um pouquinho a história entorno da hipnose? Perfeito, porque isso era essencial para entender a próxima fase.

E a auto-hipnose nisso tudo?

Agora que você entendeu o que é a hipnose e qual a sua história – bem longa, diga-se de passagem –, é importante saber onde a auto-hipnose entra nisso tudo. Afinal, esse é um tema que aqueles que vivem no mundo da hipnose lidam diariamente e precisam explicar a todo momento.

Mas para começar, é preciso que você entenda uma coisa muito importante:

“Toda hipnose é uma auto-hipnose!”

Como assim?

Bom, se para o processo de hipnose é necessário que você se concentre e relaxe cada vez mais, quem é que está se auto hipnotizando? Exatamente, você!

O hipnotista nada mais é do que um condutor dessa locomotiva.

Perfeito, agora que você já entendeu esse ponto, vamos para o que interessa!

A auto-hipnose é uma técnica extremamente eficiente e poderosa. Capaz de ajudar o seu crescimento, melhorar sua capacidade de concentração, combater vícios e superar traumas diversos.

No entanto, é uma fermenta que precisa ser usada com frequência e da forma correta. Pois, dessa forma, é possível recondicionar e ressignificar as sugestões negativas que, em algum momento, foram colocadas no seu subconsciente há anos.

Ou você achava que bastava apenas fazer uma única auto-hipnose e já estava tudo resolvido? É como a meditação, quanto mais você faz, mais se torna suscetível as sugestões.

Nem vacina de gripe resolve com uma única dose, que dirá a auto-hipnose.

Por isso, podemos dizer que na auto-hipnose criamos uma espécie de “atalho” para nossa mente subconsciente por meio de comandos simples e claros (as auto sugestões).

Como você já viu por aqui, é possível utilizar a técnica da auto-hipnose para diversas finalidades, como amenizar uma dor física, implantar sugestões de força, coragem, autoestima, evitar o sono e até mesmo entrar em um estado profundo de relaxamento em questão de poucos segundo.

Ou seja, o processo de auto-hipnose nada mais é do que o ato de dar sugestões a si mesmo, na intenção de conseguir mudar alguma ideia de lá de dentro do subconsciente, nos auto colocando em estado de relaxamento.

Auto hipnose por áudios

Neste caso, o transe hipnótico (fraco, porém perceptível), ocorre por meio de áudios genéricos, normalmente aqueles encontrados na internet e que promovem sugestões bem simples de relaxamento.

A vantagem é que esse modelo de auto-hipnose pode ser acessado por qualquer pessoa e de qualquer lugar, mas não foi feita especificamente para você e suas necessidades. O que significa que você se sentirá muito bem com ela, mas o problema real não será resolvido como você gostaria, porque a auto sugestão não é tão forte para resolver o que precisamos .

No entanto, essa é uma excelente forma de treinar a sua mente para que ela entre em estado de hipnose mais rapidamente e se mantenha nele por mais tempo.

Auto hipnose inicial

Este nível de auto-hipnose é alcançado após o auxílio de um hipnotista profissional. Pois ele será o responsável por ajudá-lo a “instalar” um gatilho que o ajudará a entrar de forma quase instantânea no transe.

Isso acontece porque em uma sessão comum, o hipnotista tem a missão de ensinar seu cliente a encontrar um tipo de gatilho mental que o ajude a entender que, a partir daquele momento, deve ser acionado o modo “tô de boa na lagoa”.

Para isso, o profissional usa a imaginação do próprio cliente. Em alguns casos o gatilho se materializa em forma de interruptor de luz. Quando acionado, a pessoa entra no estado de auto-hipnose e consegue se aprofundar ainda mais no relaxamento.

O mesmo acontece quando ela emerge do transe, basta “ligar” o interruptor e o transe hipnótico se interrompe naturalmente.

Auto-hipnose desenvolvida

Aqui é como uma fase “avançada” do processo de auto-hipnose, pois é necessário um pouco mais de trabalho e atenção no envio de sugestões positivas.

A ideia é começar escrevendo suas próprias sugestões, de forma clara e organizada para facilitar a compreensão da sua mente sobre o que você realmente deseja. Isso pode ser controlado por meio de uma espécie de diário, no qual você pode anotar as frases que considera melhores para usar de sugestão.

Uma vez com as frases definidas é iniciado o processo de indução ao transe. Lembre-se que você só entrará em transe hipnótico quando seu gatilho – o interruptor – for acionado. Por isso, não é necessário ficar repetindo as sugestões durante o estado de auto-hipnose.

Defina qual sugestão será dada e a repita cinco vezes – em voz alta ou não –, depois você aciona seu gatilho interruptor e entra em estado de relaxamento. As frases ditas antes ficam na sua mente consciente e conforme você aprofunda no relaxamento, o seu fator crítico se torna mais suscetível a aceitar as sugestões, e elas vão penetrando seu subconsciente.

De forma simples, a sequência básica para entrar em auto-hipnose consiste em:

  1. Pensa em sugestões afirmativas, positivas e curtas, e anotá-las;
  2. Repeti-las em voz alta 5 vezes (ou gravá-las para ouvir posteriormente);
  3. Acionar o gatilho interruptor;
  4. Aprofundar o relaxamento;
  5. Emergir.

Mas fique tranquilo que vamos detalhar isso mais para frente!

Anotou tudo?

Mas ainda falta uma informação importante para que o conceito fique claro na sua mente.

Dica extra!!

Como você é um leitor assíduo do blog OMNI, eu tenho uma dica imperdível para você!

Aproveite que estamos falando sobre auto-hipnose e baixe agora o App Plenamente. Um aplicativo criado para ajudar as pessoas a fazer suas auto-hipnoses com sugestões para motivação, mais concentração e até mesmo para melhorar sua imunidade!

 

O que são sugestões?

As sugestões são tão importantes quando o próprio transe de auto-hipnose, sabia?

Afinal, é por meio delas que conseguimos alcançar os objetivos estabelecidos na preparação pré-hipnose. Isso porque nada mais são do que frases sugestivas ditas para si mesmo antes da indução de auto-hipnose.

Além disso, o processo de imaginar as sugestões também envolve a visualização de objetos, como o próprio interruptor.

5 dicas para criar sugestões corretamente

O objetivo das sugestões é redirecionar a sua atenção para aquilo que você realmente deseja, ou seja, tirar o foco dos problemas e direcionar a mente para seus objetivos.

Seja positivo

Aqui é preciso ficar atento a linguagem que você vai utilizar durante o momento que fizer suas sugestões para auto-hipnose. Saber como pensar de forma prática, voltado para o positivo é urna arte que exige prática e paciência.

Fomos ensinados a vida inteira para fugir da dor, fugir daquilo que não queremos, e colocamos tanta energia nesse aspecto que esquecemos de pensar no que realmente queremos, ou seja, nas coisas positivas que vamos conseguir quando as negativas forem embora.

Um bom exemplo é o esquema de sugestões abaixo:

  • NEGATIVA: “Eu não estou ansioso.”
  • “Eu sempre penso antes de agir.”
  • “Sempre que respiro fundo, fico mais calmo.”
  • “Eu tenho o controle das minhas emoções quando estou calmo.”
  • NEGATIVA: “A fobia de baratas vai acabar.”
  • “Estou no controle da minha vida.”
  • “Eu sou forte e corajoso.”
  • “Eu conheço a minha superioridade.”

A grande diferença é que uma sugestão para auto-hipnose foca nas soluções positivas e não nos problemas. No entanto é preciso ficar atento, porque você precisa assumir uma postura totalmente positiva para que as sugestões funcionem.

Em outras palavras, você tem que QUERER!

O amanhã nunca chega

Quando queremos algo precisamos pensar bem no modo como diremos isso, porque as palavras podem influenciar – e muito – nosso desempenho na auto-hipnose.

Por exemplo:

FRASE NEGATIVA: “Eu vou emagrecer.”

Quando você diz uma frase semelhante a essa, a sugestão “eu vou” se torna indefinida, porque sua mente entende que você um dia vai emagrecer, mas até lá, fica como está.

Estranho, eu sei, mas pensa como faz todo sentido.

Ao fazer isso, você simultaneamente diz ao seu subconsciente algo negativo, que exatamente o que não deveria fazer.

Por isso, para casos assim, o correto é:

  • “Eu como alimentos saudáveis e emagreço rapidamente”
  • “Adoro me exercitar. Me sinto forte e saudável.”
  • “Eu me sinto motivado para me exercitar.”

 

Menos é sempre mais

Frases longas são ruins para o processo de sugestões de auto-hipnonse. Isso porque quando você utiliza muitas afirmações, ou afirmações longas há uma maior chance de se confundir e se distrair.

Seja o mais específico e breve possível.

Por exemplo: “Quero ser feliz no meu relacionamento” é uma frase muito ampla e requer variáveis que não dependem de você. Por isso, o correto neste caso seria “Eu me amo e encontro alguém que me ame tanto assim”.

O momento certo

Como você já deve ter lido por aqui, as sugestões não são dadas enquanto você está em processo de hipnose. Esse modelo é comum quando um terceiro está fazendo o processo com você, mas não se encaixa quando o assunto é auto-hipnose.

No entanto, em auto-hipnose o esforço de lembrar aquelas sugestões tão bem trabalhadas poderia atrapalhar o nível do transe.

Dessa forma, é importante que você saiba quais as sugestões que deseja usar antes de entrar em hipnose. Para começar, é preciso definir o problema que deseja resolver, lembra?

Depois, pense em como você pode eliminar o problema e finalmente diga suas sugestões ANTES de entrar em auto-hipnose.

Defina uma duração

Nós sabemos que o dia a dia pode ser extremamente corrido e o tempo se torna escasso para resolver questões diversas. Pensando nisso, faz todo sentido definir um período para ficar em estado de auto-hipnose.

Você pode usar um cronômetro para isso, ou se preferir pode usar uma sugestão específica antes de dizer suas sugestões diárias, como por exemplo:

“Eu estarei em auto-hipnose pelos próximos cinco minutos e minha mente subconsciente me alertará sobre isso de forma eficaz. ”

Dica extra!!

Pelo visto você realmente está empenhado em aprender como a auto-hipnose pode ajudar o seu dia a dia. E isso é muito bom!

Por isso, eu separei um conteúdo exclusivo com um passo a passo incrível para que você faça a sua auto-hipnose com mais facilidade.

Dê o play e aproveite!

 

Para que a auto-hipnose pode servir?

Agora que você entendeu tudo isso sobre a auto-hipnose vale a pena que entenda em quais situações ela pode ser usada com 100% de sucesso se feita da forma correta. Afinal, como já foi dito lá no início deste artigo, a auto-hipnose é uma ferramenta poderosa para a mente humana.

Sabendo usá-la, as chances de ter uma vida muito mais realizada e completa são maiores, por isso euzinha de melo separei um compilado de situações e problemas que podem ser solucionados com a frequência da prática de auto-hipnose.

Vem comigo descobrir um por um!

Confiança

A confiança é um elo extremamente importante que devemos ter com nós mesmos. Afinal, quem melhor pode nos ajudar a ser mais confiantes do que nós?!

Não adiante pedir auxílio desse ou daquele amigo, nem mesmo com essa ou aquela atividade. A auto-hipnose é algo que lida diretamente com o local do problema: a sua mente subconsciente.

Ter uma mente confiante reflete em uma personalidade ainda mais firme e confiante, independente da situação. Portanto, ponto para a auto-hipnose!

Ansiedade

Milhões de brasileiros sofrem com os efeitos causados pela ansiedade. O problema causa desconfortos, taquicardia, medo irracional, cobrança ao extremo e um nervosismo fora do normal.

Por meio da auto-hipnose é possível garantir que a sua mente seja recondicionada para, finalmente, tratar o ponto central do problema. Ou seja, você deixa de sentir as crises de ansiedade por ter fortalecido a mente com as técnicas da auto-hipnose.

Criatividade

Já teve aquele momento em que precisava encontrar uma solução diferente e até mesmo criativa para algo, mas não vinha nada à mente?

Isso acontece porque quando a nossa mente chega a um determinado nível de cansaço, os pensamentos ficam mais óbvios, ou seja, ela fica com uma certa preguiça de inovar e pensar fora da caixa. Com a auto-hipnose é possível solucionar esse probleminha dando sugestões como “a minha criatividade continua em alta e eu estou motivado!”.

Insônia

Sabe aquela falta de sono que surge de repente? Isso é tão fácil de se resolver com a auto-hipnose!

O cortisol é um hormônio liberado na corrente sanguínea quando ocorrem longos períodos de estresse. Um elevado nível de cortisol, ao final do dia, prejudica o sono, já que não é possível desligar a mente.

O cortisol o mantém acordado e alerta. Também o acorda pela manhã e o ajuda a levantar pronto para um novo dia. Sessões regulares de auto-hipnose à noite podem reduzir o nível do hormônio do estresse, ajudar a melhorar o sono e acordar revigorado.

Memorização (para os estudos)

Alunos em processo de estudo para prestar vestibular são os mais beneficiados com uma auto-hipnose para melhorar e memorização.  As sugestões são focadas no melhor desempenho da mente em armazenar as informações de forma rápida e isso facilita a rotina de estudos dos alunos.

Descubra por que a hipnose funciona

As sugestões hipnóticas certas podem fazer muito pela capacidade de estudo, memorização ou apenas para melhorar forma como exercemos as atividades cotidianas.

Falar em público

Só de ler esse tópico já me dá tremedeira. Tem gente que entra em completo desespero quando o assunto é falar em público.

Mas quando utilizada momentos antes de enfrentar a multidão de cinco pessoas que precisam te ouvir, uma auto-hipnose poderá fazer com que todo o medo se torne apenas um borrão no meio da sua mente, porque ele simplesmente deixa de ser o foco da atenção.

Acredite em mim, o medo nada mais é do que uma limitação preguiçosa da nossa mente!

Ah, aproveita e comenta aqui embaixo se você já fez auto-hipnose e como foi a sua experiência.

Posso utilizar a auto-hipnose para qualquer situação?

A resposta é sim, meu amigo!

Com a ajuda da auto-hipnose é possível garantir que você tenha maior controle sobre a sua mente, com isso o resultado para todas as áreas da sua vida é muito positivo.

No entanto, se o problema for muito sério, como uma depressão, tendências suicidas ou algo do tipo, é importante procurar o auxílio de um hipnoterapeuta OMNI formado.

O profissional hipnoterapeuta é quem utiliza a hipnose como método terapêutico, a fim de auxiliar seus clientes na resolução de problemas psicológicos e físicos.

Quando procurar por ajuda profissional

São diversas as formas de tratamento terapêutico que podem auxiliar pessoas que precisa de acompanhamento profissional em determinadas situações, como a hipnoterapia.

Como você viu anteriormente, o hipnoterapeuta é o profissional que aplica de forma um pouco diferenciada a hipnose, a fim de encontrar a causa real de um determinado problema.

Quando encontrada, as chances de que a pessoa se veja livre de um trauma, problema psicológico e até mesmo físico são bem altas. Isso explica por que o número de profissionais que buscam se especializar em hipnoterapia só vem crescendo.

10 razões para escolher a OMNI

A OMNI Brasil é o maior centro de formação de hipnoterapeutas do país, além de ser a única empresa que possui o selo ISO-9001, uma confirmação da excelência e da qualidade dos processos de ensino que só um aluno OMNI Brasil possui.

Terapias não convencionais como a hipnoterapia estudam como a hipnose funciona no cérebro e o que ela é capaz de fazer na vida das pessoas sem a necessidade do uso de remédios fortes que podem causar outros tipos de problemas, por exemplo.

Ficou curioso para saber como é a vida de um hipnoterapeuta profissional? Comenta aqui embaixo se você já passou por algum processo terapêutico com base na hipnose.

Conheça a formação OMNI Brasil

Ah, não esquece de assinar a nossa Newsletter, viu? Por ela você vai receber conteúdos fresquinhos além de novidades exclusivas e… algumas surpresas também!