A compulsão alimentar é, ao mesmo tempo, um assunto delicado e comum hoje em dia, principalmente entre os mais jovens. Mas alguém saberia dizer por que isso é tão “corriqueiro” no dia a dia dessas pessoas? 

Em tempos de rede social, cultura da magreza e modismo do corpo perfeito, muitos jovens têm tido problemas sérios relacionados à saúde mental, como depressão e ansiedade. No entanto, existem outros riscos que poucas pessoas comentam, mas que sempre estão presentes, já que afetam cerca de 4,7% da população brasileira, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS): os transtornos alimentares. 

Esses “famosinhos” são um conjunto de patologias psiquiátricas de origem genética, hereditária, psicológicas ou sociais e são caracterizadas, principalmente pelo descontrole constante na alimentação das pessoas. De acordo com o estudo, entre os jovens o índice de pessoas com algum transtorno alimentar é de 10%. 

Alguns são muito conhecidos pela sociedade, inclusive foram tema de novelas na TV aberta, como anorexia, bulimia e o transtorno da compulsão alimentar, que é o assunto do artigo de hoje.  

  1. O que é compulsão alimentar 
  1. O preconceito piora as coisas 
  1. Quais as causas desse transtorno no corpo? 
  1. É possível cuidar do problema! 

Venha conhecer um pouco melhor a origem desse problema para ficar atento aos menores sinais. 

Boa leitura! 

O que é compulsão alimentar?

A compulsão alimentar, ou Transtorno de Compulsão Alimentar (TCA), é uma doença mental em que a pessoa sente uma necessidade surreal de comer, principalmente quando não está com fome alguma. Essa vontade não passa quando seu corpo já está saciado.

Pessoas que sofrem de compulsão alimentar costumam comer grandes quantidades de comida em breves períodos, o que para a maioria das pessoas é assustador. Muitos médicos descrevem o transtorno da compulsão alimentar como uma perda de controle do que é fome e o que não é.

Você, com certeza já ouviu alguém dizer que adora comer, que come o tempo todo e que vive pensando em comida, não é mesmo? Embora todos costumem levar essas frases na brincadeira, o assunto é tão sério como falar de câncer, por exemplo.

Afinal de contas, a compulsão alimentar não é apenas pessoas que sentem prazer em comer. No caso das pessoas que sofrem desse problema, isso é uma realidade cruel e muito difícil de enfrentar.

Quem sofre de compulsão alimentar não é aquele seu amigo que vive postando nas redes sociais os pratos que faz e os restaurantes onde costuma comer. E sim pessoas que realmente perdem o controle de toda a sua rotina alimentar a ponto de consumirem uma quantidade absurda de comida em um único dia.

Aqueles que tem uma relação problemática com a comida a ponto de não saber mais distinguir quando seu corpo já está saciado, são chamados de compulsivos alimentares. E essas pessoas precisam lidar com questões muito mais complexas do que apenas o seu descontrole com a comida.

Sintomas relacionados a TCA

Alguns sintomas podem ser identificados quando falamos em pessoas que sofrem de compulsão alimentar é possível identificar alguns sintomas específicos, como:

  • Comer mais rápido que o normal;
  • Comer mesmo sem sentir fome;
  • Continuar comendo mesmo depois de saciado;
  • Comer escondido das pessoas (de madrugada, por exemplo);
  • Se sentir culpado ou triste por comer.

É normal também ouvir pessoas que sofrem de compulsão alimentar dizendo frases específicas, mesmo inconscientemente, como:

  • “Já estou gorda mesmo, que diferença faz uma refeição a mais?”;
  • “Eu não consigo me controlar.”;
  • “A comida está controlando minha vida.”;
  • “Posso comer bastante, ninguém vai saber.”;
  • E algumas outras.

Essas frases também podem ser consideradas como sinais de sintomas da compulsão alimentar.


O preconceito piora as coisas

O transtorno de compulsão alimentar não é visto pela maioria da sociedade como um problema de saúde e sim como falta de educação, descontrole e diversos outros nomes. Por isso, quem sofre com o TCA costuma ouvir sempre os mesmos comentários maldosos sobre como está comendo, o porquê está ganhando peso, como a vida seria melhor se comesse menos etc.

Normalmente, os primeiros a julgar são os familiares, principalmente as pessoas que estão em convívio direto com àquele que está com problemas alimentares. Mas justamente a família, que deveria ser a primeira a mostrar apoio e carinho, é a que mais aponta o dedo em forma de julgamento.

Assim como a depressão, a compulsão alimentar é vista como egoísmo, exagero a até mesmo drama! Pasmem!

A primeira coisa que dizem é a respeito da quantidade de comida, depois o peso que a pessoa ganha por consequência do descontrole alimentar. Por fim, vem aquele discurso sem sentimento, sobre como a vida é linda e como a pessoa deve ser grata por ter comida na mesa e familiares que a amam.

Afinal, essas mesmas pessoas não entendem a gravidade da patologia, julgam de forma preconceituosa ou sem fundamento prévio e isso destrói o emocional de quem sofre de TCA. Dessa forma, a compulsão alimentar, que já era ruim, se torna ainda pior, devido aos diversos sentimentos presentes na mente dessa pessoa: culpa, tristeza, ansiedade e por aí vai.

Com isso, o problema se agrava ainda mais, o que mostra como a compulsão alimentar está diretamente ligada a problemas emocionais.

Além disso, alguns fatores de risco podem fazer a diferença quando o assunto é o preconceito relacionado a compulsão alimentar:

  • Forçar dietas restritivas;
  • Pressão para expressar problemas pessoais;
  • Reforço da sensação de baixa autoestima da pessoa;
  • Exposição a comentários ligeiramente maldosos sobre o peso, o copo e a alimentação.

 

Quais as causas desse transtorno no corpo?

Como você já deve ter notado, não há apenas uma causa relacionada a compulsão alimentar. Além da herança e questões genéticas, os aspectos emocionais têm um peso enorme no desenvolvimento desse tipo de transtorno alimentar. Principalmente entre as mulheres, já que são as mais cobradas para seguir um “padrão” de corpo, beleza e estilo de vida social.

Por isso, separamos alguns fatores principais para desencadear a compulsão alimentar.

Dietas rígidas

Parece contraditório, mas o simples fato de se forçar a cumprir dietas malucas o tempo todo pode ser uma das causas da compulsão alimentar. Por isso a explicação é muito simples: as privações alimentares não ajudam a perder peso e sim a gerar mais ansiedade, o que gera necessidade de comer ainda mais.

Isso porque, as pessoas que fazem dietas extremamente restritivas estão mais propensas a sofrerem de TCA. Por isso não é saudável forçar os limites de alguém a passar muitas horas em jejum, principalmente se essa pessoa já mostrou tendências relacionadas a compulsão alimentar.

Estresse

Comer de forma compulsiva pode ser o reflexo do subconsciente para questões relacionadas ao estresse. Afinal, os alimentos proporcionam prazer e sensação de compensação, isso pode explicar o fato de pessoas que vivem em um ambiente muito estressante representarem um grande número nos casos de compulsão alimentar.

Traumas emocionais

Transtornos psicológicos como depressão e ansiedade são os campeões na lista de causas para a compulsão alimentar. Por isso são gatilhos decisivos para as pessoas que possuem esse tipo de transtorno alimentar, isso porque estão ligadas as emoções como culpa, medo, tristeza etc.

Dessa forma, transtornos emocionais podem fazer a nossa mente encontrar uma forma de “liberar” a tensão, algumas pessoas param de comer, como no caso da bulimia e outras comem em excesso. Já que essa é a única saída encontrada pela mente subconsciente dessas pessoas: comer.

Baixa autoestima

Se tem uma coisa que potencializa os efeitos da compulsão alimentar é a famosa baixa autoestima. Isso porque esse nomezinho de duas palavras tem o poder de destruir o emocional de qualquer pessoa.

Afinal, quem sofre de TCA não gosta da própria aparência, se acha feio, gordo, sentem nojo de se olhar no espelho e entram em um ciclo vicioso de dietas restritivas sem limites, o que acaba em voltar à estaca zero.

É possível cuidar do problema!

Muitas pessoas enfrentam a dificuldade de lidar com a compulsão alimentar. Afinal, infelizmente, esse é um problema comum nos tempos modernos, principalmente quando nos deparamos com pessoas famosas em seus corpos perfeitamente modificados.

São essas famosas, que normalmente são mulheres, influenciam milhares de outras pessoas a buscarem desesperadamente pelo corpo perfeito para conseguir aceitação social e é aí que se encontra o problema.

Por isso, enfrentar essa situação é um grande desafio para quem sofre de compulsão alimentar, por isso, o primeiro passo é entender que o seu corpo é o seu templo. Afinal, ele é o seu mundo, é onde se encontra o melhor de você e por isso não deve ser igual ao de outra pessoa.

Saber que não está sozinha(o) também é importante para superar este grande desafio! Além disso, contar com a ajuda de profissionais especializados também pode ajudar, como:

  • Psicólogos;
  • Médicos nutricionistas;
  • Hipnoterapeutas;
  • Psiquiatras.

Todos esses profissionais são capacitados para ajudar qualquer pessoa a se livrar de vez da compulsão alimentar. Assim, é possível recuperar a autoestima e o prazer de comer bem.

No caso da hipnoterapia, você irá reconhecer qual o momento exato em que a sua mente identificou que o ato de comer descontroladamente seria a solução para um problema emocional mal resolvido.

Gostou do artigo? Então, compartilhe nas redes sociais e comente aqui o que achou!