Segundo dados da Associação Brasileira de Reumatologia, a fibromialgia está presente em 3% da população brasileira. Além disso, de cada dez pacientes, sete a nove são mulheres, o que mostra como a Fibromialgia tem impactado a vida de centenas de mulheres ao longo de suas vidas.

Logo elas, que já lidam com tantas outras coisas: menstruação, parto, hormônios, câncer de mama, de colo de útero, família, filhos, casa, trabalho e por aí vai… a fibromialgia chega e joga os dois pés na porta.

E não importa se você tem 30 ou 60 anos, se já teve casos da doença na família ou não… sempre vai haver a possibilidade de a fibromialgia aparecer para queimar o seu filme, ou melhor: queimar as suas articulações.

Mas, brincadeiras à parte, me responde uma coisa:

Já sentiu dores por todo o corpo por um longo período de tempo e que nenhum remédio parecia fazer efeito? Ou até mesmo conviveu com alguém que passou por isso a vida toda e já não sabe mais como ajudar a pessoa? Então este artigo é para você!

Você pode ter fibromialgia, mas não se desespere, estamos aqui para te falar um pouco mais sobre o assunto e ajudar a tirar suas dúvidas. Dá uma olhada no que vamos falar neste artigo:

 

  1. O que é fibromialgia
  2. Causas da fibromialgia
  3. Sintomas
  4. Diagnóstico
  5. Tratamento
  6. Hipnoterapia na fibromialgia
  7. O que fazer quando já tem a doença

Vem comigo! Ah, e boa leitura!

 

O que é fibromialgia?

Muitas vezes confundida com dores simples por excesso de exercício, a fibromialgia é uma síndrome caracterizada por dores crônicas nos tendões e articulações, por pelo menos três meses.

Essas dores podem acontecer sem motivos aparentes ou em decorrência da reação de algum acontecimento estressante, como traumas de criança.

E-book Traumas em Crianças

Em 90% dos casos, a patologia atinge mulheres entre 35 e 50 anos, mas não parece estar diretamente ligada ao fator hormonal. Isso porque pode ocorrer antes ou depois da menopausa. Outro fato importante e assustador sobre a fibromialgia é que também pode ocorrer em crianças, adolescentes e idosos.

A dor relacionada à fibromialgia pode ser intensa e incapacitante, mas não causa inflamações e nem deformidades físicas, embora possa ser associada a outras doenças reumatológicas.

 

Causas da fibromialgia

A ciência ainda não sabe ao certo a causa específica da doença, mas pacientes que possuem a condição apresentam o nível de serotonina mais baixo, o que pode indicar mudanças constantes de humor, ansiedade e até mesmo depressão. Sabe-se também que a fibromialgia costuma aparecer em quem sofre com estresse crônico, ou estresse pós-traumático, como situações graves de trauma físico ou psicológico.

Essas causas podem estar diretamente ligadas às emoções vividas ainda na infância, desenvolvendo a fibromialgia ao decorrer dos anos, o que fica mais difícil de identificar. É aquela famosa frase: o corpo fala.

 

Sintomas da fibromialgia

Sabemos que o sintoma principal da fibromialgia são as dores crônicas que se espalham pelo corpo, mas é comum que a pessoa tenha muita dificuldade de explicar quando, de fato, as dores começaram.

Além disso, o paciente que apresenta esse tipo de patologia pode desenvolver doenças psicossomáticas, como mencionado antes, o que torna tudo ainda pior.

Mas, de um modo geral, alguns dos sintomas da fibromialgia são:

 

Dor generalizada e maior sensibilidade

Geralmente as dores são sentidas “nos ossos” ou na “carne” ou ao redor das articulações e se manifestam no final do dia, mas pode acontecer também pela manhã. Pacientes apresentam sensibilidade até em um abraço, isso acontece por causa da contração da musculatura em resposta a dor.

sintomas fibromialgia

Sono que não dá conta de descansar

A alteração do sono afeta 95% dos pacientes com fibromialgia e a principal alteração é a dificuldade de manter um sono profundo. Por isso o/a paciente acaba sendo interrompido várias vezes ao longo da noite o que faz com que a qualidade do sono caia muito.

 

Fadiga

Sabemos que uma boa noite de sono é fundamental para o descanso e por esse motivo, em decorrência do sono interrompido, a pessoa acorda muito cansada. É como se ela tivesse virado a noite na balada e depois ido trabalhar em uma roça capinando mato: o corpo está completamente moído. Isso é efeito do sono inadequado, o que aumenta a fadiga, a contração muscular e a dor.

 

Esquecimento

A falta de memória se deve mais ao fato de a dor ser crônica do que a alguma lesão cerebral. O corpo dedica muita energia lidando com a dor, assim a memória e a atenção ficam prejudicadas.

 

Depressão

Por muito tempo a fibromialgia foi tida como “depressão mascarada”, isso porque a depressão está presente em ao menos metade dos pacientes com a condição. Hoje em dia o pensamento é outro, sabemos que a fibromialgia é real, e não apenas um reflexo de um problema psicológico como era dito.

 

Sensibilidade durante a micção

Pelo fato de o corpo estar mais sensível por causa das dores, a bexiga também acaba sentindo os efeitos, e durante a micção o paciente pode sentir certo desconforto.

Outros sintomas que também podem ser identificados são: falta de concentração, sensação de amortecimento nas mãos e pés, maior sensibilidade a estímulos como cheiros e barulhos fortes e dores de cabeça frequentes.

É essencial que ao sentir esses sintomas não se autodiagnosticar e medicar, o paciente deve procurar um médico pois o tratamento é feito levando em consideração a particularidade de cada um.

Diagnóstico

O diagnóstico da fibromialgia é feito clinicamente, ou seja, não necessita de exames para comprovar a existência da doença.  Fazendo uma análise completa é possível identificar a fibromialgia desde a primeira consulta com o médico especialista.

Diagnostico Fibromialgia

Os principais critérios para identificar a fibromialgia são:

  • Dor por mais de três meses em todo o corpo;
  • Presença de pontos dolorosos na musculatura.

 

Estabelecendo os pontos de dor

Os pacientes normalmente sentem incômodos em situações que normalmente não sentiriam, como um aperto de mão mais firme, ação que pode despertar fortes dores.

A partir desse fato o Colégio Americano de Reumatologia criou o termo “pontos de dor” que são locais específicos onde os pacientes da fibromialgia tendem a sentir mais dor. Inicialmente o termo era usado apenas para fins científicos, mas com o passar do tempo começou a ser utilizado para identificar a evolução do quadro do paciente.

É importante destacar que mesmo com a verificação desses critérios, o profissional deverá fazer testes para fazer o diagnóstico diferencial, que serve para fazer um processo de eliminação dos sintomas de outras doenças.

Tratamento da fibromialgia

Assim como outras patologias crônicas, a fibromialgia não tem cura, apenas tratamento para diminuição dos sintomas e dores. Esse tratamento deve ser multidisciplinar, ou seja, combinado entre medidas farmacológicas e não-farmacológicas, como fisioterapias, e terapias não convencionais.

Algumas medidas que têm se mostrado muito eficazes contra a fibromialgia são:

Uso de analgésicos e anti-inflamatórios

Na fibromialgia a dor é decorrente da falta de regulação do Sistema Nervoso Central (SNC), o que, em parte, ocorre devido a alteração dos níveis de neurotransmissores que são capazes de aumentar ou diminuir o nível de dor.

Por esse motivo o uso de medicamentos, como antidepressivos e anticonvulsivantes, são utilizados para aumentar os níveis de neurotransmissores e assim diminuir a dor.

 

Atividade física que ajuda contra as dores

Apesar de parecer uma ideia dolorosa de início, uma rotina de atividades físicas, respeitando o limite do paciente, pode melhorar o condicionamento físico, sono e o humor.

 

Massagens e acupuntura

Uma maneira de aliviar as dores causadas pela doença é recorrer a massagens e a técnica de acupuntura periodicamente, já que ambas aliviam pontos de tensão.

Essas formas de tratamento são consideradas como tratamentos alternativos, embora sejam muito recomendados por especialistas da medicina. Além disso, existem outros modelos de terapia que podem ser de grande ajuda, principalmente psicológica, para pessoas que convivem com a fibromialgia, são as chamadas terapias holísticas.

 

Hipnoterapia

Você precisa entender que: se não nasceu com uma doença, alergia ou enfermidade psicológica, muito provavelmente a origem desse problema está nas suas emoções.

Psicólogos já diziam, há muito tempo inclusive, os impactos que o nosso emocional exerce sobre nosso corpo. Pessoas com questões emocionais mal resolvidas podem desenvolver problemas de saúde, dificuldade para dormir, distúrbios alimentares e uma série de outras patologias.

E muitas vezes, o uso de medicamentos não resolve de uma vez esse problema, o que reforça a ideia de que a origem principal, não está no que as pessoas podem ver, e sim naquilo que elas não enxergam.

A hipnoterapia pode ser uma grande aliada no tratamento do paciente, uma vez que a doença também pode ser causada por alterações emocionais e traumas decorrentes de outros momentos da vida, como falaremos mais para frente.

Assim, é possível encontrar em nossa mente o momento exato de uma emoção que, de alguma forma desencadeou esse efeito no corpo. Com isso o tratamento fica mais efetivo, o que pode aliviar ainda mais as dores e até mesmo eliminá-las de uma vez.

Quer uma prova? Dá o play nesse vídeo!

 

 

Atividades que auxiliam no relaxamento

Acompanhado das atividades físicas, estão as atividades que trabalham a parte psicológica, que também são de extrema importância. Devem ser trabalhadas em paralelo com o acompanhamento do profissional da hipnoterapia.

Também é importante ressaltar a mudança para hábitos mais saudáveis, principalmente evitar álcool, cigarros e cafeína, em paralelo aos tratamentos escolhidos para obter resultados mais eficazes e ágeis.

Todo tratamento deve ser realizado por um especialista, geralmente reumatologistas, e o paciente deve ter acompanhamento constante do médico.

Hipnose no tratamento da fibromialgia

 

Apesar de ainda não ser tão mencionada para tratamento de doenças, a hipnose traz grandes resultados a quem recorre a ela e já é conhecida mundialmente por médicos, até mesmo do SUS, que a indicam em casos específicos, como a fibromialgia.

A hipnose pode ser uma ótima aliada no tratamento de doenças, pois consiste em tratar problemas reais e físicos utilizando a própria mente subconsciente.

hipnoterapia

Mas como a hipnose pode me ajudar exatamente?

Como dito anteriormente, a fibromialgia está diretamente ligada a fatos emocionais e traumas subconscientes adquiridos ao longo da vida. Por tanto, para um tratamento eficaz é necessário não cuidar apenas da parte física, mas também psicológica da doença.

O hipnoterapeuta irá te ajudar a acessar eventos passados, principalmente durante a infância, que são justamente os mais difíceis de identificar, seja por não lembrarem o que aconteceu ou por não terem a dimensão do tamanho do trauma que a situação causou.

A partir daí o profissional poderá te direcionar ao tratamento correto e os sintomas da dor passam a ser quase imperceptíveis.

 

 

Já tenho fibromialgia, o que fazer?

 

Após já ter identificado a doença e estar fazendo tratamento, existem outros cuidados que devem ser seguidos em paralelo ao tratamento para amenizar ao máximo os efeitos.

Algumas recomendações para pacientes são:

  • Tomar os medicamentos prescritos para diminuição dos sintomas;
  • Evitar situações que podem aumentar o estresse;
  • Não carregar pesos;
  • Tentar eliminar tudo que perturbe o sono como luz, barulhos, colchão desconfortável entre outros;
  • Pratique atividades físicas regularmente (sem excessos);
  • Procure estar sempre em posições confortáveis;
  • Mantenha hábitos saudáveis;
  • Preste atenção a novos sintomas que podem aparecer.

Mas, espera. O que os hábitos têm a ver com a doença?

Tudo!  Afinal, com bons hábitos (sejam eles de saúde, higiene ou qualquer outro), é possível educar sua própria mente a direcionar força e energia para fazer o que é certo.

Hábitos são responsáveis por transformar a nossa vida, para bem ou para mal, e saber identificar e aplicar esses hábitos na vida, pode ser a diferença entre ter uma vida mais saudável e viver na mesmice tapando buracos com medicamentos e mais medicamentos.  Quer saber mais? Baixe o e-book.

E-book Como Construir Hábitos de Sucesso

Complicações relacionadas à fibromialgia

Além dos sintomas citados acima, a doença pode apresentar outras complicações relacionadas a ela, como é o caso da ansiedade, ocasionada pela falta de apoio da família ou até mesmo de profissionais e falta do conhecimento que a dor realmente existe.

Doenças como lúpus, enxaqueca, artrite reumatoide e osteoartrite também podem ser associadas à fibromialgia.

Mas, pensando aqui, uma das piores complicações que a doença pode provocar na nossa vida é a limitação. A fibromialgia nos limita a viver em uma cama, sentados, fazendo pouco esforço; sempre com medo das dores, de uma complicação ou uma crise de reumatologia.

E isso é um dos principais problemas: ela afeta a nossa mente.

Somos escravos da doença ao evitarmos fazer diferente para acabar com as dores e complicações. E como você leu por aqui, nem sempre os medicamentos podem resolver de uma vez por todas o problema.

Na verdade, são paliativos: ajudam a aliviar, mas logo depois a dor volta e com mais força. Então de que adianta tanto remédio se a minha mente me limita a fazer tudo para evitar a dor, o desconforto e o cansaço?

É preciso encontrar uma forma de acabar com a fibromialgia e, meu amigo, a hipnoterapia pode ser uma saída! Eu recomendo fortemente que você confira o artigo que separamos para falar sobre os efeitos que ela têm na nossa mente e, principalmente, na nossa vida.

Por ainda não se saber as causas exatas da doença, embora esteja tudo na nossa mente, não existe uma forma de prevenção única, porém, como em fazemos em qualquer outra doenças, é importante manter hábitos saudáveis e, principalmente, procurar um especialista desde os primeiros sintomas psicológicos ou físicos.

Você convive ou conhece alguém que lida com a fibromialgia por muito tempo? Apresente este artigo para ela e aproveite para compartilhar em suas redes sociais.

Comenta aqui embaixo se você já conviveu ou convive com a Fibromialgia e se já adotou a hipnoterapia como forma de tratamento.

Ah, não esquece de assinar a nossa Newsletter, viu? Por ela você vai receber conteúdos fresquinhos, além de novidades exclusivas e… algumas surpresas também!