Para quem não sabe, fobia social, ansiedade social ou timidez é um transtorno com origem no medo ou na ansiedade intensa em ser observado, avaliado, ouvido por muitas pessoas e etc. Mas a vírgula será que a fobia social tem alguma relação com casos de timidez, ou uma não necessariamente está ligada a outra? Vem descobrir!

Segundo pesquisa feita entre 2008 e 2009, em torno de 5 a 13% da população brasileira sofre de fobia social. Confere esse depoimento incrível 👇🏻

É de arrepiar a epiderme, meu bem! (se é que isso é possível)

Todos nós somos ligeiramente tímidos, ansiosos e até mesmo inseguros em certos momentos do nosso dia a dia. Esse grau de timidez pode variar de pessoa para pessoa e de acordo com cada situação. Mesmo que seja normal ficarmos pouco à vontade em ocasiões adversas a nossa realidade, uma vez que a timidez é vencida, a tendência é nos soltarmos e nos familiarizarmos com o ambiente entrosando-nos com as pessoas à nossa volta.

Entretanto, existem pessoas que fogem completamente dessas experiências. Poderíamos dizer que são pessoas que fogem das relações sociais assim como o diabo foge da Cruz (se é que essa frase é realmente verdade). Muitas pessoas, só em pensar na possibilidade de viver momentos nos quais serão observadas por terceiros, entram em total desespero.

Esse comportamento de medo reflete-se em diversas áreas do nosso dia a dia: profissional, financeiro, afetivo e social. O transtorno pode começar na infância, quando normalmente é confundido com timidez. Ao longo da vida adulta é possível perceber as mudanças relacionadas a fobia social:

  • Isolamento social;
  • Inabilidade para conversar com estranhos;
  • Medo das novidades e mudanças;
  • Dificuldade de falar em público.

É por isso que, quanto mais cedo for enfrentado, melhores serão os resultados e menos sofrimento trará para os portadores da fobia social. E, para te ajudar a entender a diferença entre fobia social e timidez simples, montei um artigo especial sobre este assunto. Dá uma olhada no que vem por aí:

  1. O medo das pessoas
  2. A fobia
  3. Fobia social ou timidez
  4. Sintomas de fobia social
  5. Tratamentos para fobia social

Continua comigo porque tem muita coisa que eu preciso te contar!

Boa leitura!

O medo das pessoas

Podemos dizer que o medo é uma sensação de proteção do nosso subconsciente a uma situação potencialmente perigosa. É extremamente natural sentir medo de algo ou alguém, no entanto, o sentimento de medo desencadeado e sem controle pode gerar patologias ainda mais sérias, como ansiedade, transtornos depressivos e até mesmo doenças do coração.

Sim, você leu certo, doenças do coração!

Nosso coração é o Dínamo do nosso corpo, portanto ele recebe energias de todas as partes do nosso organismo, o medo pode desencadear sensações de ansiedade que a longo prazo provocam problemas mais sérios no funcionamento do nosso coração.

Para que você entenda, nossos antepassados já utilizavam o medo como um aliado poderoso para vencer guerras e diversas batalhas. Existem medos comuns entre os seres humanos, como a morte, as doenças, a saltos, acidentes, entre outros. Mas, alguns tipos de medo, são tão difíceis de entender que acabam afastando as pessoas umas das outras. É o caso da fobia.

A fobia

É muito comum que as pessoas acreditem que medo e fobia são a mesma coisa, por conta disso, acabam confundindo a utilização desses 2 termos e, principalmente, os efeitos causados por cada um deles. A verdade virgula é que a fobia é um caso bem mais sério e que deve ser tratado com bastante atenção.

Para entender melhor, dá o play nesse vídeo aqui 👇🏻

 

A fobia pode ser definida como um tipo de perturbação mental caracterizada pelo sentimento de medo persistente e descontrolado em relação a algo ou alguém. Na maioria das vezes, a fobia não representa perigo real para o indivíduo, no entanto, apenas a sensação de desespero latente é o suficiente para fazer a vida de uma pessoa um verdadeiro desastre.

Quem nunca se assustou com uma barata no meio da casa, ou ficou com medo do escuro quando era criança, e até mesmo se sentiu aprisionado dentro de um elevador?

Essas são situações simples, porém reais, de sintomas de pessoas que possuem algum tipo de fobia. Embora não pareçam nem um pouco perigosas, as fobias podem desencadear uma exclusão social entre as pessoas que a têm.

Ou seja, a fobia é uma espécie de medo exagerado e muito intenso. Para muitos profissionais da saúde, isso seria definido como algum tipo de distúrbio psicológico, afinal, além do descontrole emocional, as pessoas que sofrem com fobias também podem apresentar sintomas relacionados a outras patologias mentais, como:

  • Ansiedade;
  • Depressão;
  • Crise de pânico;
  • Taquicardia;
  • Baixa autoestima;
  • E por aí vai.

Nos casos em que uma fobia se torna tão intensa para uma pessoa, é perceptível o isolamento dela em meio à sociedade. Mas, quando esse medo, está diretamente relacionado com sua convivência com outras pessoas, podemos chamá-la de fobia social.

Fobia social ou timidez

Depois de entender o que é medo e o que é fobia, chegou a hora de conhecer de fato o que significa fobia social e qual a sua relação com a timidez.

Fobia Social

Embora a timidez seja um empecilho no dia a dia de várias pessoas, ela não interfere diretamente na saúde psicológica delas.

Afinal, uma pessoa tímida pode tranquilamente superar suas limitações em poucos momentos de conversa e com o jogo de cintura ajustado. Nada que impeça o contato desta pessoa com desconhecidos e até mesmo com pessoas conhecidas.

Aliás, pessoas tímidas costumam se sair muito bem em um ambiente no qual não conhecem ninguém. É claro que existem exceções e pessoas que se sintam acuadas em qualquer situação ou momento, mas isso não é regra.

Por ter uma relação direta com algo extremamente exagerado, a fobia social se difere de uma timidez simples, justamente porque em um caso de timidez, bastam alguns momentos para que a pessoa relaxe e comece a interagir com outras.

No entanto, quando falamos de fobia social estamos nos referindo a indivíduos que possuem extrema dificuldade em se relacionar, seja de forma amigável ou até mesmo amorosa. O medo e a ansiedade são tão grandes que impedem que esta pessoa consiga ao menos dizer um simples “Olá”.

Já imaginou você diante de uma situação como essa? Ficar diante de seus amigos, parentes, e até mesmo da pessoa que você ama e não conseguir se quer abrir a boca para dizer um olá.

A insegurança da fobia social

Alguém com fobia social se sente inseguro ao fazer qualquer apresentação. Falar em público para essas pessoas nem pensar!

Só de imaginar a possibilidade de serem julgados, ridicularizados, humilhados ou qualquer outra coisa, já os deixa completamente em choque.

Afinal, de acordo com o manual de diagnósticos e estatísticas dos transtornos mentais da Associação Psiquiátrica Americana (APA), o transtorno de ansiedade social ou fobia social, caracteriza-se por um medo acentuado e persistente de situações sociais ou de desempenho nas quais os indivíduos temem se sentirem envergonhados ou em momentos embaraçosos.

É importante ressaltar que, o que realmente incomoda a pessoa com fobia social é o julgamento pelo qual ela se supõem alvo. Ela não teme exatamente as pessoas, ela teme o que as pessoas pensam dela. A ideia de ser julgado como alguém maluco, estúpido, enfadonho, sujo, desagradável, ansioso ou até mesmo estranho lhe causa verdadeiras agonias.

Um bom exemplo disso são pessoas com medo de tremer as mãos. Essa pessoa pode evitar beber, comer, escrever ou até mesmo apontar algo em público.

Já imaginou você sem conseguir escrever e apontar algo em público pelo simples medo de ser julgado por tremer as mãos?

Pode parecer ridículo, mas para algumas pessoas esse é um medo real e extremamente apavorante.

Mas, quais são os reais sintomas da Fobia social?

Sintomas de fobia social

Existem pessoas que, naturalmente, são mais reservada ou mais extrovertidas que outras. A timidez e o desconforto em ambientes sociais não são necessariamente fobia social, mas é preciso entender que o comportamento dessas pessoas pode variar de acordo com o lugar ou com as situações nas quais elas são submetidas.

Tudo isso vai depender da personalidade de cada um e também com sua trajetória de vida, afinal, nossas experiências passadas tem relação direta com o nosso comportamento no dia a dia. Especialistas da mente explicam que momentos vividos no passado que geraram algum tipo de estresse psicológico, podem desencadear questões de comportamento no futuro.

Um dos maiores especialistas no assunto é Michael Arruda, autor do livro Desbloqueie O Poder Da Sua Mente.

No livro, Michael explica quais as verdadeiras causas de traumas medos e fobias e nos auxilia a encontrar a solução correta por meio da hipnose e da auto-hipnose, técnicas antigas e amplamente utilizadas pelos maiores especialistas na mente humana. Além disso, o livro nos faz promover uma reflexão sobre nossas atitudes e sobre o que nós realmente desejamos para nossas vidas.

Caso você tenha ficado curioso eu separei o audiobook exclusivo do livro desbloqueie o poder da sua mente, que está disponível no Spotify. É só dar o play e seguir com a mudança de mindset.

Mas, voltando a falar dos sintomas da fobia social, podemos dizer que eles podem aparecer de diversas maneiras. Muito do comportamento das pessoas pode não ter relação alguma com a doença, mas é sempre bom ficar atento a alguns deles como por exemplo:

Sintomas fisiológicas – corporais e sensações

  • Tremores;
  • Mãos frias;
  • Enjoo ou tontura;
  • Vontade excessiva de ir ao banheiro;
  • Taquicardia;
  • Boca seca;
  • Fobia Social.

Sintomas comportamentais

  • Pouca movimentação corporal;
  • Expressão facial pouco significativa;
  • Voz muito baixa ou sérias dificuldades para falar;
  • Tiques e cacoetes ao longo da fala;
  • Sensação de estar perdido em algum momento;
  • Inibição e passividade;
  • Fuga de situações sociais.

Sintomas cognitivos

  • Vergonha;
  • Baixa autoestima;
  • Abatimento ou tristeza;
  • Depressão;
  • Ansiedade;
  • Síndrome do pânico.

Importante lembrar que não existe apenas uma única razão para a fobia social acontecer. É possível apontar algumas possíveis causas; talvez uma experiência negativa e intensa demais com pessoas no passado, a tendência de ficar ansioso(a) por muito tempo, problemas físicos e de saúde e até mesmo a dificuldade de aprender novos assuntos sozinhos.

E como finalmente fazer o tratamento desse problema?

Simples, no próximo tópico eu te falo!

Tratamentos para fobia social

O tratamento da fobia social pode ser feito por meio de uma interferência médica ou terapêutica. Tudo vai depender do nível em que essa fobia está instalada na mente de cada pessoa. Alguns especialistas, sugerem o uso de fármacos para auxiliar o controle da ansiedade, que em muitos casos é uma das principais reclamações.

No entanto, assim como todos os tipos de medicamentos, os pacientes podem ficar submetidos ai efeitos colaterais não tão agradáveis. Por isso, o acompanhamento com um profissional psicoterapeuta ou até mesmo um hipnoterapeuta pode ser a solução ideal para quem convive com os problemas da fobia social no seu dia a dia.

Os profissionais dessas áreas são preparados para auxiliar os pacientes e clientes a encontrarem a verdadeira causa desse sentimento de medo e tratá-la de forma eficiente e rápida.

No caso da hipnoterapia ou da auto hipnose, é possível encontrar a razão pela qual uma pessoa que convive com fobia social e, em uma única sessão, conseguir solucionar este problema em sua vida.

E então, conseguiu identificar pontos de diferença entre uma timidez comum e a temida fobia social? Compartilhe nas suas redes sociais e ajude outras pessoas a entender se o que elas sentem é fobia social ou simplesmente timidez.

Ah, não esquece de assinar a nossa Newsletter, viu? Por ela você vai receber conteúdos fresquinhos além de novidades exclusivas e… algumas surpresas também!