transição de carreira

A escolha da nossa profissão é um dos momentos mais importantes de nossa vida e também é algo na qual somos questionados desde cedo. É difícil imaginar que um dia poderemos repensar essa decisão profissional e começaremos a cogitar a possibilidade de fazer uma transição de carreira. Porém, essa é a realidade de milhões de pessoas…

Embora muitos jovens consigam acertar logo de cara a profissão que vão levar pelo resto da vida, isso não acontece com a maioria das pessoas. Para se ter ideia, um estudo feito com profissionais de São Paulo e Porto Alegre mostrou que 72% deles não estão satisfeitos com suas profissões.

Se pararmos para refletir um pouco melhor, veremos que hoje em dia somos pressionados pela nossa família e sociedade a decidir sobre o nosso futuro e profissão, geralmente, até a idade dos 18 anos, que é aquela famosa fase de vestibulares e faculdade.

Entretanto, com essa idade ainda não temos maturidade, habilidades e nem experiência de vida suficientes para decidirmos sobre uma vocação plena e integral para nós mesmos.

Então, se você chegou até aqui e está se sentindo frustrado ou insatisfeito com a sua atual profissão, saiba que esse sentimento é algo legítimo e normal. Nada está escrito em pedra e você pode muito bem dar um novo rumo para sua vida.

Nesse artigo iremos abordar sobre esse assunto de mudança de carreira e de área de atuação, para dessa forma, tentar abrir a sua mente e levar respostas para as dúvidas que você possa ter.

Sinais de alerta

Antes de qualquer coisa é necessário verificar se o que você está sentindo é realmente um sinal que indica algo de errado com sua atual vida profissional.

Listamos abaixo alguns exemplos de situações que representam insatisfações muito comuns e que podem ser a faísca inicial para você começar a cogitar de fato uma transição de carreira:

1- Acorda se lamentando por ter que ir para “aquele lugar”

Esse é o sintoma clássico de que existe algo de errado com o trabalho que você faz.

É o momento em que o despertador toca e você já começa a sofrer mentalmente, pois não queria ter que ir trabalhar naquele lugar.

O mesmo sentimento também surge de noite, quando você vai para a cama triste, sabendo que dali algumas horas já será de manhã novamente.

Você começa e termina o dia de forma igual. Um looping de desânimo.

2- Vive estressado na maior parte do tempo

É muito comum passarmos por alguns momentos de estresse quando estamos trabalhando. 

Isso é algo que geralmente acontece quando estamos muito atarefados ou quando surge algum problema na nossa rotina. No entanto, assim que toda essa situação é resolvida, nós também voltamos a ficar bem novamente. Simples assim.

O grande ponto aqui, é quando estamos sempre de mal-humor ou quando ficamos irritados com facilidade durante o nosso período de trabalho. Principalmente, quando não há motivos aparentes.

Se essa situação começa a se repetir todos os dias, então talvez o problema seja algum fator de infelicidade relacionado com próprio trabalho mesmo.

3- Não consegue dar o seu melhor (ou não tem vontade)

Quando você gosta do seu trabalho, sempre buscará por melhorias e novas formas de se autodesenvolver para gerar mais resultados.

Porém, se você não está performando como deveria e também não sente muita vontade de melhorar esse cenário, então há algo de estranho acontecendo.

Pode ser um sinal de que aquele amor pelo trabalho tenha acabado e que talvez seja hora de encontrar algo que te motive mais…

4- Realiza as tarefas no piloto automático

A partir do momento que você já tem alguma prática naquilo que faz, você consegue acelerar a execução das tarefas, e assim, automatizar seu trabalho. E isso é algo muito bom, pois significa que está dominando as atividades relativas a sua função e entregando um serviço de qualidade.

O problema aqui, é quando você trabalha de forma robotizada, fazendo sempre as mesmas coisas durante vários anos e sem aprender algo novo.

O fato de poder aprender novas habilidades, se desenvolver e conquistar coisas diferentes são alguns dos elementos fundamentais que tornam a vida prazerosa e estimulante.

Se você não buscar por novos desafios, então continuará vivendo de forma monótona e triste. 

5- Sente que as horas não passam quando está no trabalho

Sabe aquela sensação de que a sua jornada de trabalho demora uma eternidade para passar? De ficar olhando para o relógio de 30 em 30 minutos no decorrer do dia? Ou de sentir uma enorme sensação de liberdade quando sai do trabalho?

Pois é…

Se você tem essas sensações com frequência, talvez esteja preso dentro de uma vida que precisa ser transformada.

Observações…

Com certeza você reparou que todos esses sinais são apenas alguns exemplos dentre várias outras situações que você pode estar vivenciando.

Também deve ter notado que esses sinais acabam sempre se conectando um com o outro e formando uma espécie de ciclo em que você se sente preso, infeliz e frustrado.

Um pesadelo que te persegue tanto dentro, quanto fora do trabalho.

Mas antes de prosseguirmos, é necessário entendermos também que esses sinais nem sempre querem dizer que você precisa fazer uma transição de carreira…

transição de carreira

Analisando a situação mais de perto

É muito importante analisar com calma e atenção se o que você procura é de fato uma transição de carreira ou se esses sinais negativos estão relacionados com algum tipo de problema que pode ser solucionado de uma maneira mais simples.

Afinal, uma mudança de carreira é algo muito sério e que só faz sentido se você realmente estiver insatisfeito/infeliz com o que faz atualmente.

Ciente disso, vou te fazer uma pergunta e quero que você responda com total sinceridade:

“Se você recebesse uma proposta de uma empresa muito boa, para ter um salário 3x maior do que você ganha hoje, para trabalhar em um cargo diferente mas que ainda esteja dentro da sua atual área de atuação (que você supostamente não gosta). Você aceitaria?”

Caso a sua resposta seja “SIM”, então talvez o real problema não seja propriamente a sua profissão, mas sim, algum outro motivo específico.

Veja alguns exemplos:

– Descontentamento com o ambiente de trabalho

É muito comum as pessoas ficarem tristes ou decepcionadas com questões relativas ao ambiente e cultura da atual empresa. Às vezes os costumes, hábitos e crenças das pessoas que estão ali podem não estar de acordo com os seus e isso pode acabar causando um desgaste emocional em você.

A solução seria conseguir um emprego em outra empresa ou atuar por conta própria.

– Insatisfação financeira

Outro motivo muito comum (talvez até maior do que o anterior) seja por conta de você estar insatisfeito com o seu salário ou remuneração atual.

Isso pode ser resolvido através de uma negociação com o seu chefe ou mudando de empresa também.

Caso você seja autônomo, então deve criar alguma nova estratégia para conquistar mais clientes ou aumentar o preço do seu serviço.

– Infelicidade com o cargo

Isso não quer dizer que você não gosta do que faz, mas que talvez você só esteja estagnado nessa função, não veja sinais de poder crescer ou precise de novos desafios.

Você pode resolver isso tentando adquirir novas habilidades para assumir novas funções na sua área ou até mesmo cogitando a possibilidade de ser promovido para assumir um novo cargo.

Porém…

Se mesmo mudando de empresa, ganhando mais dinheiro ou mudando de cargo, você não aceitasse permanecer nessa mesma área de atuação, então já é um sinal bem claro de que a solução é de fato uma transição de carreira.

Preparando-se para a mudança de carreira

Mudar de profissão nunca será algo fácil, portanto, existem alguns pontos que são de extrema importância e muito recomendados para quem deseja fazer essa transição da melhor maneira possível.

– Não abandone seu trabalho atual

Entenda que ainda não é hora de chegar no seu chefe e pedir demissão. Muitas pessoas agem dessa forma e isso só acaba gerando mais problemas no decorrer do tempo.

Nesse momento, é muito importante que você continue mantendo a sua fonte de renda, por mais torturante que possa ser a sua situação no trabalho.

Afinal, a última coisa que você vai querer agora é passar por dificuldades financeiras também.

– Descubra o que quer fazer

A missão agora é descobrir o que de fato você quer fazer profissionalmente. E isso nem sempre é uma tarefa fácil e rápida…

Faça uma autoanálise, pesquise sobre diversos assuntos e busque conhecimento.

Crie uma lista com atividades que você goste e tenha interesse, independente se você já tem alguma experiência ou não.

Todo esse período de pesquisa, aprendizagem e reflexão irá te ajudar muito para descobrir uma nova vocação.

OBS: Se você achar necessário, procure ajuda de algum profissional competente no assunto de mudança de carreira.

– Converse com alguém dessa área de atuação

Procure alguém que já é um profissional nessa nova área na qual você quer migrar e entenda como é a rotina, remuneração, mercado de trabalho, cuidados para quem está chegando agora, etc.

Dessa forma, você estará colhendo informações com alguém que já chegou lá e que pode te dar o “caminho das pedras”.

– Faça uma reserva financeira

Um dos motivos para permanecer no atual trabalho é para conseguir juntar uma boa quantia de dinheiro, a fim de que você consiga se manter financeiramente durante a fase de transição.

Pois, além de investimentos com cursos e especializações nessa nova área, você também continuará tendo que arcar com suas despesas do dia a dia.

O ideal seria que você juntasse recursos suficientes para se manter entre seis a doze meses. Mas claro que isso é só um exemplo para se ter uma boa margem de segurança.

transição de carreira

Transição para a área da Hipnoterapia

Por fim, esse artigo foi construído com o real objetivo de clarear a sua mente e poder te ajudar a perceber pontos importantes nesse momento de dúvidas e tomada de decisão.

É um momento delicado e deve ser analisado com todo o cuidado. Esperamos que de alguma forma tenhamos contribuído com isso.

Entretanto, se você está lendo sobre transição de carreira aqui no site da OMNI, então não podemos negar que as chances de você querer se tornar Hipnoterapeuta são bem grandes.

Por conta disso, iremos mostrar aqui algumas vantagens e benefícios que a transição de carreira para Hipnoterapeuta pode oferecer em relação aos outros tipos de profissões:

Trabalhar com o propósito de ajudar pessoas

Essa é a maior missão de um Hipnoterapeuta. Se você gosta de ajudar o próximo e tem o objetivo de causar transformação na vida de várias pessoas, então a Hipnoterapia com certeza será uma área muito prazerosa de se trabalhar.

Imagine como seria a sensação de poder ajudar pessoas a resolver problemas emocionais, como: ansiedade, depressão, fobias, dependência química, síndrome do pânico, entre várias outras questões.

É algo realmente fantástico, pois além de causar um grande impacto positivo em centenas de vidas, você também acaba alimentando a sua própria alma por conta de todo o bem que você está promovendo.

Atuar como Hipnoterapeuta em paralelo com a sua atual profissão

Essa é uma das grandes vantagens, pois um Hipnoterapeuta tem a liberdade para marcar um horário de atendimento aos finais de semana ou então após o expediente do seu trabalho. É algo muito simples de ser alinhado com o cliente.

Dessa forma, você consegue se manter no seu trabalho ao mesmo tempo que já vai atuando como Hipnoterapeuta. Podendo assim, fazer uma transição bem tranquila e sem dores de cabeça. É o cenário perfeito!

Receber uma ótima remuneração

Além do fato de poder trabalhar transformando as vidas de diversas pessoas, você também tem a possibilidade de receber uma remuneração muito boa por isso.

Afinal, é muito comum que um Hipnoterapeuta formado pela OMNI consiga ajudar a maioria dos seus clientes entre uma e três sessões de terapia. E isso de dá ao fato de que o processo terapêutico que ensinamos é extremamente efetivo e rápido, pois atua diretamente na raiz do problema.

Ou seja, quando você gera grandes resultados, também pode cobrar um preço maior.

Não há necessidade de montar uma clínica

Se você tiver condições financeiras para montar e ter um espaço de atendimento só seu, então ótimo.

Porém, você pode muito bem alugar salas comerciais que já estão todas mobiliadas e prontas para serem utilizadas. Existem muitos lugares que cobram apenas pela quantidade de horas que você vai utilizar e ainda com preços muito justos.

Fazendo assim, você vai gastar dinheiro somente quando já estiver com terapias agendadas para fazer.

Em resumo…

Ser um Hipnoterapeuta te traz a possibilidade de ser muito bem remunerado para trabalhar com algo que você realmente ame e ainda ajudando pessoas a conquistarem uma vida feliz e plena.

Assista agora ao depoimento e história da nossa instrutora Erika Yumi e descubra como ela venceu uma depressão que já durava 15 anos e o porquê dela ter feito uma transição de carreira para a área da Hipnoterapia.

Deixe suas dúvidas abaixo que iremos ajudar!