Como hipnose e religião conseguiram trilhar um caminho tão polêmico ao longo da história?  Preparamos um artigo que fala dos conflitos entre igreja, ciência e hipnose para você entender tudo sem preconceitos! Vem comigo!

  1. Crenças – mas hipnose não é do diabo?
  2. A religião nessa história toda
  3. Ciência, hipnose e religião juntas?
  4. Os estados da mente
  5. Mas o que isso tem a ver com hipnose?
  6. Sua história é única e sempre será sua
  7. Então, de onde vem esse medo da hipnose?

Vem cá, você sabe me dizer o que hipnose e religião têm em comum? Não? Ora, meu caro! Então chegou a hora de entender nos mínimos detalhes toda essa história. Afinal, não estamos falando apenas de semelhanças, mas também de uma polêmica que ronda as duas. 

Você já sabe que a hipnoterapia tem casos realmente incríveis de transformação. Por meio da hipnose, muitas pessoas já se viram livres de problemas como a depressão, vícios, bulimia, dores crônicas, diabetes, insegurança, entre muitos outros…  

Provavelmente, você também sabe que o fundamento da religião deve ser a prática do bem, a busca por se conectar com Algo ou Alguém com A maiúsculo, e poder, assim, ajudar outras pessoas com sua própria vida. 

Parece bem claro que tais práticas, portanto, não entram em conflito, certo?  

Errado, meu jubileu! 

Infelizmente, a hipnose foi – e ainda é – tratada com certo misticismo no Brasil por alguns hipnólogosfazendo com que a hipnose e religião sejam vistas com uma certa resistência uma pela outra. 

Um bom exemplo de que hipnose e religião são vistas como rivais é o seguinte: você provavelmente já viu algum show de hipnose em que profissional fazia de tudo para dar a entender que estava, de alguma maneira, controlando a pessoa hipnotizada. Que ela faria qualquer coisa que ele quisesse! E é claro que isso não seria bem aceito no âmbito religioso. 

Crenças – mas hipnose não é do diabo? 

hipnose-diabo

Muitas vezes, tudo isso é ainda piorado com alguns mitos que são espalhados dentro e fora das igrejas e templos acerca do que a hipnose realmente é. Por serem leigas, algumas pessoas acreditam que há algo de oculto na hipnose, e a fidelidade à religião as afasta do conhecimento real. 

Ou seja, consideram que o ato de hipnotizar e ser hipnotizado é “coisa do diabo”, afinal hipnose e religião não deveria ter nada a ver uma com a outra (na cabeça dessas pessoas). 

Mas hipnose não é mesmo um tipo de bruxaria? Uma ciência oculta? Quem sabe até magia negra? 

Não, meu amigo fiel 

E eu não estou falando isso só para te convencer! 

A hipnose realmente não é nada além de um estado totalmente natural pelo qual sua mente passa todos os dias. Sim, TODOS OS DIAS!  

Na verdade, é tão natural que nem percebemos quando entramos e saímos desse estado. 

Sabe aquele momento em que você está assistindo a um filme emocionante e começa a chorar, mesmo sabendo que nada daquilo é real? Ou quando está muito concentrado em um trabalho e um simples barulho pode te assustar mais do que o normal? Tudo isso só acontece porque você está em estado de hipnose! 

Nossa, mas não é possível. Eu quero provas! 

David Spiegelpsiquiatra e diretor do Centro de Medicina Integrada da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, é um grande especialista no estudo da hipnose e afirma que, apesar da origem da palavra – que vem do Deus do Sono na mitologia grega, Hypnos – esse processo nada mais é do que um estado de alta concentração e intensa atividade mental, exatamente como acontece todos os dias com você e comigo. 

Então, eu te pergunto: você conseguiria focar muito em qualquer coisa que seja contra a sua vontade? Tenho certeza que não. E é por isso que o processo de hipnose também não pode ser forçado. Simplesmente porque não funciona! 

E aqueles shows que a gente vê?

hipnose-show 

E eu sei no que você está pensando em todas aquelas pessoas da TV esquecendo o próprio nome e comendo cebola. Não é possível que o hipnólogo não estivesse controlando a situação! 

Não estava, meu abençoado! 

Por incrível que pareça! 

É claro que ele utiliza técnicas de hipnose específicas e guia os participantes com algumas sugestões, mas todo o processo só acontece porque as pessoas, de fato, desejam passar por ele. O que prova que não tem nada de obscuro, mito, ou do diabo nesse processo.  

É pura e simplesmente a sua mente usando todo o potencial que ela possui. 

Pode ser porque gostam da brincadeira, porque desejam experimentar, ou simplesmente porque querem aparecer no palco…, mas uma coisa é certa: elas querem estar ali e querem passar pelo processo. 

Na verdade, a hipnose é um processo ativo, que depende muito mais do sujeito fazer acontecer, do que das palavras do hipnotista – há, inclusive, estudos que corroboram com essa afirmação: Gail Comey and Irving Kirsch, 1999. 

Mas como, então, é possível alguém controlar a sua mente ao ponto de fazer você esquecer o próprio nome?  

A verdade é que não existe um terceiro que controla a sua mente.  

Mesmo nessas situações, é você quem decide aceitar a sugestão. Se alguém, por exemplo, tem uma crença muito forte de que o nome é algo muito importante, então a mente simplesmente não deixaria a sugestão entrar, e isso não funcionaria.  

Por outro lado, se o participante pensa que deve ser uma experiência incrível conseguir esquecer o próprio nome, então a sugestão é aceita pela mente subconsciente, e funciona! 

Mente subconsciente? O que é isso?  

Calma aí que eu chego lá! 

No fundo, é você quem controla a própria mente – e você pode, com esse controle, decidir deixar ou não alguém te dar uma sugestão divertida. É por isso que é simplesmente impossível contar seus segredos ou a senha do cartão de crédito em estado de hipnose. Você nunca permitiria que isso acontecesse! 

Isso também não quer dizer que alguém está dominando, possuindo ou incorporando na mente de outra pessoa. 

Até aqui, tenho certeza de que não há nada que vá de encontro ao que é pregado em sua religião. Mas eu sei que lá no fundo ainda paira a dúvida: mas não há mesmo nada de oculto nisso? 

A religião nessa história toda 

Religião e Hipnose

Agora que você entendeu a questão da hipnose, vamos entender o outro lado desse papo: a religião. 

quando falamos em religião, você precisa entender que todas elas (TODAS, SEM EXCEÇÃO) dependem da fé dos seus seguidores, ou fiéis. E essa fé, por si só, já é algo que ultrapassa a razão, por ser considerada uma verdade absoluta na mente de cada pessoa.  

Mesmo sem ter visto qualquer coisa que comprove a crença, você crê. 

Isso acontece porque essa crença (nesse caso eu estou falando de religião), foi colocada na sua mente subconsciente logo nos primeiros momentos da sua vida.  

Ouvir seus pais e avós falando de Deus e da Igreja, o batismo, as entidades, os santos, os orixás, enfim… dependendo da sua crença religiosa, você foi se habituando à ela e acredita fielmente que toda a aquela construção é verdade.  

Prova disso é que, são raros os fiéis que questionam as práticas, regras, símbolos e principalmente as escrituras de suas religiões. 

Quer um exemplo? 

Praticamente todos os fiéis, independente da religião, relatam que sentem paz somente ao adentrar no templo. Outras dizem que se sentem tão bem que chegam a chorar de felicidade, e inúmeras outras relatam como foram curadas de diversas doenças apenas com uma oração ou ritual específico de sua fé.  

A religião é, historicamente, considerada um dos alicerces principais na construção social. Por isso é tão importante para diversas culturas. 

Hoje, está claro que a hipnose e religião não são coisas necessariamente opostas, mas podem, inclusive, ser complementares: afinal, parece bastante plausível que um Ser Superior inteligente criaria um universo ordenado de maneira igualmente inteligente – e a esta ordem chamamos ciência. 

Ciência, hipnose e religião juntas? 

Religiao-hipnose

Seguindo a lógica, aquilo que a ciência explica pode ser, para os que praticam religião, a forma como as coisas foram ordenadas pelo Criador. Sendo assim, a hipnose, sendo um estado natural da mente cientificamente aceito, não poderia ter nada de oculto – pelo contrário, é simplesmente a mente humana agindo em uma de suas mais puras formas. 

Ah, para explicar melhor, dá uma olhada no artigo que comprova que a hipnose realmente acontece. 

CIÊNCIA COMPROVA ESTADO DE HIPNOSE! 

Desde 1977, pesquisadores vêm realizando experimentos científicos que comprovam não só a eficácia da hipnose, mas principalmente revelam que não há nenhum misticismo envolvido.  

Em 2017, um estudo altamente conclusivo realizado por David Spiegel e alguns colegas foi publicado no jornal de Oxford, Cerebral Cortex. Nessa pesquisa, foram escaneados os cérebros de 57 pacientes durante o estado de hipnose, e ALGO INCRÍVEL FOI DESCOBERTO: a hipnose deixa 3 rastros nítidos no cérebro.  

Regiões distintas dele alteram a atividade e conectividade nesse estado mental. Inclusive, atualmente, a regulamentação da hipnose pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) a reconhece como um ato de medicina alternativa. 

Lembra que um pouco acima eu falei de mente subconsciente? Vamos entender melhor o que isso significa! 

Os estados da mente 

estados-da-mente

Para entender melhor como tudo isso é possível, vou te explicar como a mente funciona realmente. 

Ela é dividida em três partes: o inconsciente, o consciente e o subconsciente. 

O inconsciente é responsável por sua sobrevivência física

Ele controla o sistema nervoso autônomo – que comanda a respiração, batimentos cardíacos, temperatura corporal e outras funções – e o sistema imunológico, que mantém todo o organismo em equilíbrio. 

Esta parte da sua mente já vem programada de fábrica. No momento em que você nasce, suas células já sabem como fazer para cicatrizar uma ferida, por exemplo, e o seu corpo sabe como viver em equilíbrio para crescer. 

Então, se você nasceu perfeitamente saudável e se, atualmente, algo fisiológico não está muito bem, é porque existe alguma coisa influenciando o funcionamento natural do seu inconsciente.  

Não é possível mudar a programação dessa mente, porém é possível utilizar a hipnoterapia para fornecer todos os recursos necessários para que ela volte a funcionar da forma mais saudável possível.  

O consciente, por sua vez, é sua mente racional 

estados-da-mente

 Aqui é o lugar no qual você passa a maior parte do tempo. Mas você sabia que ele controla apenas 5% de toda a sua mente? 

Essa parte é responsável por apenas quatro funções 

  • a analítica, que pondera e toma decisões a todo momento;  
  • a racional, que busca justificativas para tudo o que você faz;  
  • a força de vontade, que dá aquele empurrãozinho quando tentamos começar ou concluir alguma coisa;  
  • e a memória a curto prazo, que guarda as informações do dia a dia, como seu endereço e telefone. 

O consciente é o grande responsável, com sua função racional, por dar para o fumante a justificativa de que ele fuma para “aliviar o estresse”. Ou para dar para você a desculpa perfeita para não aceitar aquela oportunidade de resolver o seu problema! 

Você pode até ter tentado bastante usando a força de vontade…, mas, como vimos, a parte consciente comanda apenas 5% da sua mente, então só a força de vontade não bastaPrecisamos da ajuda do subconsciente para resolver a questão. 

Agora, vamos ao famosinho! 

O subconsciente é responsável por controlar 95% de tudo o que você faz e sente 

estados-da-mente-subconsciente

Desde a gestação, tudo o que você vivência é aprendido pela sua mente subconsciente com o objetivo de usar essa informação para que você evite qualquer perigo no futuro. 

É com base em tudo o que foi gravado na sua primeira infância que seus hábitos, emoções, vontades, medos e mesmo comportamentos imperceptíveis são desenvolvidos em você.  

Não importa o quanto você tente mudara não ser que ocorra um milagre, você continuará assim até a sua mente subconsciente entender que não precisa mais dessa programação. 

E é por isso que cada pessoa aprende a lidar com seus sentimentos de um jeito, conforme as experiências que foram gravadas nessa mente mais profunda.   

Se você já se perguntou “por que eu agi assim?”, nesse momento foi sua mente subconsciente controlando você pela emoção, para, de alguma forma te proteger de alguma frustração – ainda que, de maneira consciente, você não quisesse agir daquela maneira. 

E isso é ruim?  

Não! Isso é simplesmente a forma como a mente funciona.  

E é incrível! 

Temos uma mente extremamente poderosa, capaz de armazenar todos os eventos marcantes, moldar nossa personalidade e, de alguma forma, fazer da sua e da minha vida uma experiência absolutamente única 

E isso não afeta – ou, ao menos, não deveria afetar – em nada a sua fé. Por isso dizemos que hipnose e religião não são tão diferentes assimPelo contrário, apenas te ajuda a enxergar o mundo de uma forma ainda mais complexa e perfeitamente ordenada. 

Mas o que isso tem a ver com hipnose? 

o-que-tem-hipnose

Isso é hipnose!  

E é por isso que essa ferramenta funciona tão bem em sua forma terapêutica. A hipnose consiste em, justamente, conseguir ultrapassar o filtro sutil – chamado fator crítico – que existe entre a mente consciente e a mente subconscienteacessando essa parte mais profunda 

Mas isso não significa que você lidará com uma parte oculta da mente, que não deveria ser acessada pelo homem…  

Não, meu fiel ungido 

Lembre-se: hipnose e religião não são inimigas! 

Para entender melhor, leia nosso artigo incrível sobre os 10 maiores mitos e verdades sobre a hipnose! 

OS MITOS DA HIPNOSE QUE VOCÊ SEMPRE ACREDITOU 

Como já expliquei aqui, a hipnose é um processo natural que ocorre todos os dias.  

Simplesmente por estar concentrado demais em alguma coisa ou em algum pensamento, seu subconsciente já está em plena atividade naquele momento. E não há nada de místico nisso!  

A única diferença é que, no caso da hipnose guiada por um profissional, há uma indução e sugestões que podem ou não ser aceitas. 

Ou seja: você está sempre no controle! 

  • Como entretenimento, o subconsciente é acessado para alterar alguma experiência de maneira a torná-la mais divertida, como comer cebola com gosto de maçã. – ECA! 
  • Como terapia, acessar o subconsciente permite com que pequenos ou grandes traumas antigos que trouxeram a você os problemas de hoje sejam ressignificados. 

Mas isso também não significa que você alterará uma parte da sua história…  

Sua história é única e sempre será sua 

sua-historia-hipnose

O que a hipnoterapia fará por você é simplesmente te ajudar a olhar para eventos traumáticos guardados em sua mente subconsciente com mais gentileza, ressignificando os acontecimentos e perdoando as pessoas envolvidas. 

Não parece ter nada contrário à sua religião, certo? E, de fato, não tem! Na verdade, há muita coisa em comum entre hipnose e religião. 

Então, de onde vem esse medo da hipnose? 

medo-hipnose

Lembra aqueles filmes nos quais o protagonista é “hipnotizado” e começa a fazer o que o hipnotizador manda? Ou até mesmo a interpretação errada de algumas passagens nos escritos religiosos?  

Pois bem, isso já é o suficiente para indicar que hipnose e religião não devem se misturar. O que na verdade é o contrário, visto que ambas têm um objetivo em comum: nos tornar pessoas melhores. 

Outro ponto é que, infelizmente, muitas vezes doenças emocionais acabam sendo tratadas como “falta de Deus, quando, na verdade, são apenas sintomas de alguma experiência mal resolvida, como qualquer outro problema. 

Procurar terapia – e procurar terapia com hipnose! – não é “mexer com o que não deve”, mas é simplesmente usar a sua própria mente ao seu favor. Até mesmo porque, não se esqueça: quando você melhora, você ajuda o mundo a melhorar também! 

Assim como a religião, a hipnoterapia tem o único objetivo de te ajudar a lidar melhor com suas dores e, inclusive, aprender a amar aqueles que te feriram.  

O que me lembra um certo homem que pregava: “Ame ao próximo como a ti mesmo…”. 

Então, qual a diferença mesmo entre hipnose e religião? 

Espero que tenha gostado do artigo, meu jovem abençoado! 

Ah, não esquece de assinar a nossa Newsletter, viu? Por ela você vai receber conteúdos fresquinhos além de novidades exclusivas e… algumas surpresas também!