Paralisia do sono. Embora o nome pareça muito estranho, esse é um tipo muito comum de “problema” entre os seres humanos. Inclusive é a origem de diversas obras de arte por décadas. Mas, o que exatamente é essa tal de paralisia do sono e por que ela acontece?

Para começar a falar sobre este assunto é preciso entender que a qualidade do sono dos brasileiros não tem sido muito boa. Uma pesquisa divulgada pela Associação Brasileira Do Sono, em 2019, apontou que 65% da população tem problemas na qualidade do sono.

de acordo com a pesquisa o uso de aparelhos eletrônicos pode ser um dos grandes vilões da má qualidade do sono nos brasileiros, outro fato é que a pandemia pode ter piorado ainda mais essa situação, principalmente pelo aumento no número de ansiosos Brasil afora.

paralisia-do-sono

O estresse, a má alimentação, o sedentarismo é até mesmo as condições da cama e do travesseiro podem ser pontos agravantes para que uma pessoa tenha uma péssima qualidade do sono. Além disso, ultimamente os brasileiros têm recorrido cada vez mais ao uso de aparelhos eletrônicos, principalmente agora com a pandemia da COVID-19.

Mas, o que fazer quando a qualidade do sono é tão ruim que chegamos ao ponto p apresentar um quadro de paralisia do sono?

É o que eu vou tentar explicar para você a partir de agora!

  1. Os estágios do sono
  2. O que é paralisia do sono
  3. O que diz a neurociência?
  4. Por que a paralisia do sono acontece?
  5. Quando acontece uma paralisia do sono

Boa leitura!

 

Os estágios do sono

Que dormir é uma das recomendações mais dadas por médicos é verdade, afinal sono é capaz não apenas de restabelecer as energias do corpo e da mente depois de um dia intenso, mas também pode contribuir para melhorar o nosso metabolismo, manter o nosso peso sob controle, fortalecer o sistema imunológico, prevenir doenças e ainda regular nossa sensação de bem-estar.

O sono é uma necessidade básica do nosso organismo, tanto quanto respirar. Mas para contar com todos os benefícios que ele proporciona, as pessoas precisam ficar atentas a qualidade do sono. Por isso é tão importante manter uma rotina regrada para o sono, ou seja, estabelecer um período específico para dormir e acordar todos os dias, mesmo aos finais de semana.

Mas, você já percebeu como nunca se dá conta de quando de fato está dormindo?

paralisia do sono

Você percebe quando dorme?

Isso acontece porque nós temos estágios diferentes para cada momento do nosso sono. Os seres humanos são constituídos por duas fases distintas: o sono não-REM, o que é mais lento, e o sono REM, que tem uma atividade cerebral mais rápida.

Normalmente, a nossa noite de descanso começa com o sono não-REM, o qual é composto por três estágios diferentes:

  • N1 – transição da vigília para o sono mais profundo, no entanto, ainda um sono leve;
  • N2 – diz conexão total do cérebro com os estímulos feitos pelo mundo real;
  • N3 – só no profundo, com o descanso da atividade cerebral.

A partir daí chega a vez do sono REM. Nesta etapa, existe uma intensa atividade cerebral com movimentos oculares rápidos. É quando acontecem os sonhos e também a conta a ligação da memória.

Especialistas dizem que em uma noite completa de sono, um adulto normal e saudável apresenta de quatro a seis ciclos, dos quais podem ser do sono não-REM como o sono REM. Cada um desses ciclos pode durar em média 90 minutos.

Por isso é importante evitar ficar acordando diversas vezes ao longo da noite para que todo o processo de sono com qualidade ocorra da forma correta e a pessoa levante no dia seguinte restabelecida.

Para se ter uma ideia, a Organização Mundial da Saúde afirma que 40% da população mundial dorme mal, desses, 8% já tiveram a famosa paralisia do sono.

 

O que é a paralisia do sono?

Em linhas gerais, a paralisia do sono é uma impossibilidade temporária de se mexer ou falar na transição entre o sono e a vigília. É visto como um estado de desconexão temporária das diferentes partes do nosso corpo, ou seja, enquanto a nossa mente voltou à ativa, o restante do nosso corpo ainda não despertou e se mantém paralisado por alguns minutos.

Com isso, quem está quase dormindo ou acordando, de repente, não consegue realizar movimentos voluntários, como falar, gritar ou até mesmo se mexer.

Aliás, muitas pessoas que sofrem com a paralisia do sono afirmam que sentiram o grande aperto no peito não tiveram até mesmo alucinações.

alucinações

Estranho, não é?

Na verdade, é uma experiência que mistura a sensação de estar desperto e sonhando ao mesmo tempo, como se estivesse tendo um pesadelo, mas acordado.

Dessa forma, a paralisia do sono pode se tornar um episódio traumático para qualquer pessoa que precisa dormir, ou seja, todo mundo. Dá só uma olhada nessa matéria que o Fantástico da TV Globo produziu sobre o assunto.

Paralisia do Sono – TV Globo

Os efeitos da paralisia no sono

Muitas pessoas que experimentam os episódios frequentes da paralisia do sono podem entrar em algum estado persistente de ansiedade e até mesmo medo, com alguns efeitos estranhos, como:

  • Diminuição da qualidade do sono;
  • Insônia;
  • Sonolência durante o dia;
  • Cansaço;
  • Problemas de concentração e memória;
  • Piora no desempenho escolar ou até mesmo laboral;
  • Isolamento;
  • Desmotivação.

mas é preciso lembrar que nem sempre sono está associado a essas consequências ou até mesmo a outras doenças, no entanto a experiência em si pode ser assustadora. Aliás, existem lendas folclóricas no Brasil e fora daqui que relatam a existência de fenômenos paranormais, bruxarias, demônios, alienígenas e por aí vai.

No Brasil existe a lenda da “Pisadeira”, uma idosa de unhas compridas que se esconde nos telhados à noite e pisa no peito de quem dorme de barriga para cima. Embora alguns aspectos dessa lenda sejam confirmados pela ciência, como por exemplo dormir de barriga para cima que parece ser um dos gatilhos para o fenômeno da paralisia do sono, o resto não passa de uma lenda.

 

O que diz a neurociência?

Neurocientistas explicam que o fato de a nossa mente é acordar e o nosso corpo não conseguir se mexer significa que nem todo o nosso organismo entendeu que aquele momento é a hora de acordar. Para a paralisia do corpo, os neurocientistas chamam de atonia muscular, o mecanismo de defesa do nosso corpo que nos ajuda a relaxar e evita que nós nos machuquemos ao longo do sono.

Ao longo de um episódio de paralisia do sono acontece a passagem do estado de sono para a vigília, ou vice-versa, nesse momento os movimentos musculares voluntários são inibidos pela atonia muscular. Os movimentos oculares e respiratórios permanecem normais inalterados e a percepção do ambiente é de imediato.

Estudos de neurologistas associam à experiência de estar fora do corpo a um processamento neural alterado na região lateral e no topo do nosso cérebro, que participam da integração de diferentes informações visuais, auditivas e perceptivas.

Já as alucinações, de acordo com a neurociência, são associadas a um entrar e sair abrupto da fase REM do nosso sono, que é aquele momento em que ocorrem os sonhos. Por isso, tantos sonhos quanto as alucinações são formadas por eventos visuais vividos e ricamente emocionais.

Durante o sono, nosso corpo fica normalmente paralisado, com exceção dos órgãos vitais. mas quando a paralisia do sono acontece, estamos cientes da percepção do nosso ambiente e por isso acabamos nos desesperando pela falta de movimento muscular.

Mas, por que isso acontece?

por que

 

Por que a paralisia do sono acontece?

Mesmo sendo um fenômeno relativamente comum, a paralisia do sono é pouco estudada. Existem diversos estudos sobre os fatores de risco potenciais, mas as causas ainda não são claras.

Uma hipótese dos cientistas é que existe uma falta de sincronia entre as mudanças na atividade cerebral e a atonia muscular na fase REM do sono. Em tese, esse seria o motivo pela paralisia temporal dos músculos, mas acredita-se que se trata de um fenômeno multifatorial, ou seja, com diversas razões diferentes.

Já foram investigadas diferentes associações entre doenças, questões genéticas e até mesmo uso de substâncias químicas para explicar a paralisia do sono, como por exemplo:

  • Influências genéticas;
  • Estresse e traumas na infância;
  • Uso de substâncias químicas;
  • Crenças anómalas;
  • Problemas anteriores de distúrbios do sono;
  • Transtornos psiquiátricos.

Um estudo publicado em 2018 por pesquisadores britânicos explica que o transtorno de estresse pós-traumático parece ser o fator de risco mais comum para a paralisia do sono, seguida do transtorno do pânico.

Além disso, existe um outro fator que pode contribuir para que a paralisia do sono aconteça: os famosos maus hábitos.

Eles são responsáveis pela maioria dos problemas relacionados à qualidade do sono, e estão ligados diretamente a transtornos como ansiedade e depressão. É por isso que saber como melhorar os hábitos é uma estratégia poderosa para vencer a paralisia do sono.

Pensando nisso, preparamos um material exclusivo que vai ajudar você a identificar hábitos ruins e trocar por hábitos de sucesso. Clique no banner abaixo e faça o download do livro digital!

hábitos de sucesso

 

O que fazer quando a paralisia do sono acontece?

A grande maioria das pessoas raramente experimenta a paralisia do sono e não precisa se preocupar com a possibilidade de um episódio acontecer. Mas eventualmente em uma situação esporádica, é possível que uma pessoa sem qualquer tipo de comorbidade ou fator de risco a presente um episódio de paralisia do sono.

E nesses casos, o que fazer?

A paralisia do sono só é considerada uma doença quando se torna recorrente, com pelo menos dois episódios num período de 6 meses, ou até mesmo quando está associada a forte carga emocional. Quem apresenta episódios frequentes da paralisia do sono e está com problemas com relação a isso precisa procurar ajuda de um médico especializado no sono.

Além disso, é importante que você investigue se o seu dia a dia tem gerado momentos de estresse ansiedade ou alguma outra sensação que seja de alguma forma incômoda. Caso a resposta seja positiva, é importante procurar ajuda de um terapeuta, que pode ser um psicólogo ou um hipnoterapeuta.

Se sentir alguns dos sintomas da paralisia do sono que foram citados acima, é muito importante que você consulte um profissional da saúde assim o que inicialmente se parece com uma paralisia do sono pode ser algo mais sério ou até mesmo sem qualquer relação com este problema. Tudo vai depender do parecer do médico sobre o que você está passando.

E quanto as medicações?

Não se esqueça: você só deve tomar qualquer medicamento caso seja prescrito por um profissional de saúde. Não é recomendado que você tome qualquer tipo de medicação por conta própria.

E então, você convive com a paralisia do sono ou conhece alguém que convive com este problema? então aproveite e compartilhe este artigo com essa pessoa para ajudá-la a entender melhor o que tem acontecido com ela ao longo das noites que deveriam ser tranquilas.

Ah, não se esqueça de assinar a nossa newsletter para receber tudo o que a OMNI Brasil lançou na semana em primeira mão. Além de algumas surpresas também! É só preencher o formulário que aparece na sua tela.