Lidar com os altos e baixos da bipolaridade pode ser difícil — e não apenas para a pessoa bipolar. Além do paciente, a família, amigos, colegas de trabalho e cônjuges também precisam conviver com as variações de humor e comportamentos típicos do transtorno.

Embora quem mais sofra com o transtorno seja, obviamente, a própria pessoa bipolar, a vida social do paciente fica prejudicada, o que pode incluir relacionamentos tempestuosos, chefes que não compreendem as suas dificuldades e pais que podem achar que é apenas “falta de educação”.

No entanto, uma pessoa bipolar nunca faz o que faz e age como age de forma proposital. Muito pelo contrário! A bipolaridade é um transtorno sério e que causa muito sofrimento. Ninguém é bipolar porque quer!

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o transtorno bipolar atinge cerca de 140 milhões de pessoas no mundo. Além disso, a Associação Brasileira de Transtorno Bipolar (ABTB) afirma que cerca de 4% da população brasileira pode ter o transtorno.

A boa notícia é que é com um acompanhamento médico regular, tratamentos como a hipnoterapia e com muito apoio das pessoas mais próximas, a pessoa bipolar pode tratar o transtorno e voltar a viver normalmente!

Você tem um amigo, parente ou cônjuge que vive com a bipolaridade? Quer saber como você pode ajudar uma pessoa bipolar?

É isso que você vai ver neste artigo!

Confira o que vamos falar:

Continue a leitura!

Pelo que uma pessoa bipolar passa?

Pessoa bipolar

Existem alguns tipos básicos de bipolaridade, que você pode conferir como são neste texto. Todos eles envolvem mudanças significativas de humor, energia e nível de atividade, diferenciando-se pela gravidade.

As mudanças de humor variam entre períodos (chamados de episódios) de euforia extrema, onde a pessoa bipolar fica com a energia alta e muita alegre, e períodos depressivos, em que se sente triste, sem esperança e energia.

Assim, é importante lembrar que nem todo mundo que passa por variações de humor é bipolar. Ficar triste quando coisas tristes acontecem é natural, assim como sentir-se alegre quando recebe uma boa notícia, por exemplo.

O que acontece com a pessoa bipolar é que essas emoções são sentidas intensamente, independente do episódio. Além disso, podem durar horas, dias ou semanas e, durante esse período, os sintomas vão se agravando e podem até acabar em uma internação em hospital.

Como ajudar uma pessoa bipolar?

Se você convive com uma pessoa bipolar, com certeza já percebeu o quanto os episódios de humor são intensos e podem atrapalhar a vida social do paciente. Afinal, quando está passando por um episódio depressivo, a pessoa bipolar pode ficar sem energia para nada, nem mesmo para se levantar da cama.

Já durante os episódios maníacos, a pessoa bipolar pode correr riscos, abusar de álcool e drogas ou virar noites sem dormir devido aos picos de energia.

Então como ajudar uma pessoa que sofre com a bipolaridade? Veja algumas dicas:

Reconheça os sinais

Se você conhece uma pessoa bipolar, já deve ter visto os episódios de humor e sabe como eles podem ser assustadores. Afinal, a pessoa que sofre com a bipolaridade não consegue controlar suas emoções e, muitas vezes, não se dá conta do que está acontecendo.

Além disso, dependendo do episódio que a pessoa estiver passando, pode fazer coisas que não faria se não tivesse o transtorno, como correr riscos físicos e até mesmo pensar em suicídio.

Por isso, se você quiser ajudar uma pessoa bipolar, é essencial que conheça os principais sinais de bipolaridade. Dessa forma, saberá como são os episódios de humor característicos do transtorno.

Os sintomas se dividem em episódios maníacos e depressivos. Veja quais são os sintomas de cada um:

Episódios maníacos ou hipomaníacos

Pessoa bipolar: episódios maníacos

Durante um episódio maníaco ou hipomaníaco (um episódio maníaco mais brando), a pessoa bipolar pode ter os seguintes sintomas:

  • Muita energia para fazer suas atividades;
  • Se sentir com a autoestima lá em cima e ter muitas ideias e planos;
  • Se distrair facilmente, ou se sentir muito irritado e agitado;
  • Aumento nos níveis de atividade, trabalhando até tarde ou estudando a noite inteira, por exemplo;
  • Dificuldade para concentrar;
  • Tendência a abusar de álcool e drogas;
  • Fala rápida e mudança de assuntos rapidamente;
  • Não sentir desejo de comer ou dormir;
  • Tomar decisões ou dizer coisas que não parecem você. Muitas vezes toma riscos que não tomaria normalmente.

Episódios depressivos

Pessoa bipolar: episódios depressivos

Durante um episódio depressivo, a pessoa bipolar pode ter os seguintes sintomas:

  • Tristeza, falta de esperança ou muita irritação;
  • Falta de energia e de apetite;
  • Baixo interesse nas atividades diárias e perda de vontade de fazer coisas que antes gostava;
  • Dificuldade de concentrar ou de lembrar as coisas;
  • Sentimento de vazio ou desespero. Falta de propósito;
  • Dificuldade para dormir;
  • Mau humor e pessimismo;
  • Muita preocupação sobre pequenas coisas;
  • Alterações no apetite;
  • Cansaço constante.

Ofereça apoio

Ofereça apoio à pessoa bipolar

Nada é pior do que estar passando por um momento difícil e sentir que não tem nenhum apoio. Isso sem contar com aquelas pessoas que não apenas não te apoiam, como te julgam. Péssimo, né?

Por isso, se você deseja ajudar uma pessoa bipolar, oferecer seu apoio é uma das melhores formas de demonstrar que se importa com ela, a ama e quer fazer o possível para ajudá-la.

Além disso, muitas pessoas que vivem com a bipolaridade não aceitam seu diagnóstico, se recusam a fazer o tratamento e morrem de medo do impacto que esse diagnóstico terá nas suas vidas e no convívio com as pessoas mais próximas.

Para oferecer apoio a uma pessoa bipolar, ofereça para ir com ela ao médico, lembre-a de tomar seus medicamentos e tenha paciência quando ela estiver passando por algum episódio.

Identifique possíveis gatilhos

Embora os sintomas sejam frequentes e possam acontecer a qualquer momento, alguns fatores podem desencadeá-los ou piorar as crises bipolares.

Alguns desses gatilhos podem ser:

  • Estresse;
  • Problemas financeiros;
  • Conflitos nos relacionamentos;
  • Divórcio;
  • Discussões com colegas de trabalho;
  • Alteração na rotina;
  • Mudanças climáticas;
  • Uso de álcool ou drogas;
  • Cafeína em excesso;
  • Em mulheres cisgêneros, alterações hormonais provocadas pelo ciclo reprodutivo;
  • Mudanças na alimentação;
  • Irregularidade de horas de sono (dormir pouco ou além do habitual);
  • Medicamentos com efeitos colaterais associados a sintomas maníacos e depressivos);
  • Perda de um ente querido;
  • Eventos positivos (promoção no emprego, férias, mudança de casa, nascimento de um filho, etc);
  • Mudança no padrão de atividades sociais.

Como você pode perceber, uma pessoa bipolar não lida bem com mudanças de modo geral, sejam positivas ou negativas. Por isso, ao perceber que está acontecendo uma situação específica que possa gerar uma crise, tente ajudar a evitá-la.

Não julgue

Não julgue a pessoa bipolar!

É realmente difícil conviver com uma pessoa bipolar, mas tente sempre se lembrar: a pessoa não é desse jeito porque quer e em nenhum momento está tentando machucar você de propósito.

Por isso tenha paciência, muita calma e tente não depositar sua raiva ou desagrado na outra pessoa. Além disso, evite falar frases como “é tudo sua imaginação”, “pare de se preocupar à toa” ou “veja pelo lado positivo”.

Ao invés disso, tenha empatia e prefira frases como “conte comigo”, “você não está sozinho nessa” e “talvez eu não entenda exatamente como você se sente, mas estou aqui para te ajudar”.

Conheça um tratamento incrível para bipolaridade

Ao perceber que uma pessoa próxima a você está apresentando sintomas do transtorno bipolar, o primeiro passo é procurar um psiquiatra ou psicólogo para ter certeza do diagnóstico.

Embora a bipolaridade não tenha cura, ela pode ser controlada e seus sintomas amenizados com diferentes tipos de tratamentos. Alguns exemplos são a psicoterapia, uso de medicamentos prescritos, métodos naturais, como florais de Bach, ou hipnoterapia.

Encontrar o tratamento adequado é fundamental para diminuir os sintomas e ajudar a pessoa bipolar a controlar suas oscilações de humor.

O tratamento tradicional geralmente dura a vida toda, mas o uso da hipnoterapia pode obter resultados mais rápidos e eficazes. Muitas pessoas relatam que, após apenas algumas sessões, os sintomas melhoram significativamente ou mesmo desaparecem completamente!

Confira um desses casos incríveis, em que os sintomas de uma paciente desapareceram com ajuda da hipnoterapia. É só clicar aqui para ler o case!

Participe do Experiência OMNI

Pessoa bipolar: venha para o Experiência OMNI!

A bipolaridade é um transtorno grave, que causa muito sofrimento à pessoa e aos seus relacionamentos. Se você é uma dessas pessoas que convive com alguém bipolar, deve estar cansado, talvez sobrecarregado e precisando de uma luz, não é mesmo?

Então eu tenho uma boa notícia para você!

Está chegando a Experiência OMNI, o maior evento de imersão em hipnoterapia do mundo! Nesse evento, você vai mudar os pensamentos que travam a sua vida, vai descobrir como mudar todos os hábitos que te colocam para trás e curar transtornos que nunca conseguiu antes.

Além disso, a Experiência OMNI vai te mostrar os caminhos para curar relacionamentos quebrados, entender como ajudar uma pessoa bipolar e compreender muito melhor os motivos para suas relações estarem travadas.

Serão dois dias de alto impacto e imersão total, para reprogramar a sua mente e eliminar de vez as crenças limitantes do seu subconsciente.

Participe!

Clique aqui e faça sua inscrição para a Experiência OMNI!