O TDAH é um dos transtornos mais comuns na infância e adolescência. Mesmo assim, a maioria das pessoas não tem conhecimento dos tratamentos disponíveis. Será que apenas os remédios fornecem o que é preciso ou existe um novo tipo de tratamento?

O transtorno de déficit de atenção tem sido muito comentado nos últimos anos por médicos e pela mídia.

São divulgados casos de pessoas que possuem a doença e que, mesmo assim, seguem um dia a dia absolutamente normal e comum, seja no trabalho ou na vida pessoal.

No entanto, o tratamento que é feito por meio de psicoterapias, as vezes requer o uso de medicamentos estimulantes, o que pode gerar efeitos colaterais desagradáveis para algumas pessoas.

Então, como tratar esse transtorno de forma eficiente, evitando ao máximo o uso excessivo de medicação?

É o que você vai aprender agora!

O que é TDAH?

O TDAH, ou Déficit de Atenção e Hiperatividade, é um transtorno neurobiológico com causas genéticas. Normalmente esse transtorno aparece logo na infância e frequentemente acompanha o indivíduo por toda vida. Também é conhecido como Distúrbio do Déficit de Atenção (DDA).

Normalmente é identificado por sintomas de inquietação, desatenção e impulsividade. Por isso pode contribuir para a baixa autoestima, relacionamentos problemáticos e dificuldades na escola ou no trabalho.

O transtorno já chegou a ser considerado uma mentira por profissionais da saúde. Muitos acreditavam que o comportamento hiperativo fazia parte da personalidade e que a falta de atenção não passava de mera preguiça.

Para se ter uma ideia, antigamente as pessoas afirmavam que o TDAH era uma invenção da indústria farmacêutica para ter lucros com a venda de medicamentos.

A que ponto chegamos!

As pessoas que apresentam os sintomas característicos de TDAH costumam sofrer em convívio social já que seu comportamento e temperamento interferem diretamente nas relações interpessoais. É por esse motivo que os médicos recomendam o uso de remédios, inclusive em crianças.

Quais os sintomas?

A TDAH é um transtorno considerado comum entre crianças, adolescentes e até mesmo adultos. De acordo com a Associação Brasileira do Déficit de Atenção (ABDA), entre 3% e 5% das crianças, em diferentes regiões do mundo, são diagnosticadas com o transtorno. Dentro os sintomas mais conhecidos estão:

Desatenção

Falta de atenção das pessoas com TDAH é comum principalmente na infância. Nas crianças é detectado pelos professores logo no início da vida acadêmica ou pelos pais durante a infância. É caracterizada por um ar de “fora da órbita” enquanto conversa com as pessoas.

Nos adultos ocorrem problemas de desatenção para coisas do cotidiano e para as rotinas do trabalho, além de terem uma memória fraca.

Hiperatividade/Impulsividade

Normalmente se caracteriza pelo relacionamento com outras pessoas, como pais e professores no caso das crianças. Nesses casos é comum dizer que elas “não desligam por um minuto sequer”, justamente por terem uma personalidade muito agitada.

Os adultos são inquietos o tempo todo, mudam muito de opinião e são altamente impulsivos. Tem bastante dificuldade em avaliar seu próprio comportamento e não percebem o quanto afetam as pessoas à sua volta. São considerados como “egoístas”.

TDAH e as crianças

O tratamento com crianças que têm TDAH requer muito mais atenção. Mesmo assim, mesmo o contato diário com elas pode gerar algumas dúvidas dos pais e professores. Na escola é comum os professores encontrarem diferentes dificuldades no dia a dia. O aprendizado é mais lento que o das demais crianças, o que requer ainda mais dedicação e paciência por parte dos professores.

Além disso, é preciso ter muita atenção quanto à socialização das crianças para evitar casos de violência e até mesmo bullying.

As crianças com TDAH tendem a ser esquecidas, desorganizadas e se perdem bastante nas tarefas. Além disso, há mais algumas características:

  1. Tendem a ter rendimentos escolares mais baixos;
  2. Podem ser visivelmente introspectivas;
  3. Desenvolvem sérias dificuldades de memorização, capacidade de organização e interiorização de conceitos e aprendizagens.

TDAH e a vida adulta

Adultos com TDAH podem apresentar a impulsividade já mencionada principalmente na hora de falar. Normalmente há um embaraço na hora de pensar e formular ideias com clareza. Por isso há sempre muita coisa acontecendo na mente dos adultos com TDAH.

Geralmente possuem relações afetivas instáveis, com alto número de divórcios e separações. Além disso, tem incapacidade de cumprir uma rotina e rendimento abaixo do esperado. São muito descuidados e frequentemente esquecidos.

Adultos com TDAH tem uma maior dificuldade de manter-se em um projeto de longa duração, logo tudo se torna desinteressante.

Saiba como tratar

Os tratamentos utilizados hoje em dia vão desde o acompanhamento com um psicoterapeuta até o uso de medicações que auxiliem no controle dos efeitos relacionados ao trauma.

A Associação Brasileira do Déficit de Atenção, afirma que o tratamento do TDAH deve ser A medicação faz parte do tratamento na maioria dos casos.

A psicoterapia que é feita nos pacientes com TDAH é chamada de Terapia Cognitivo Comportamental, feita exclusivamente por psicólogos. Outra forma de terapia utilizada é o acompanhamento com o fonoaudiólogo para casos muito específicos.

Nesses casos, não há apenas o TDAH, mas também o Transtorno de Leitura (Dislexia) ou Transtorno da Expressão Escrita (Disortografia).

Nesses casos, se forem problemas simultâneos, o TDAH, que não é um problema de aprendizado e sim de falta de atenção e foco, pode ficar mais acentuado com a Dislexia e Disortografia e gerar muitas dificuldades na escola.

Mas, você sabia que esses não são os únicos métodos que podem ajudar no tratamento?

Trate o TDAH com Hipnoterapia

O uso da técnica de hipnose para lidar com os efeitos causados pelo TDAH já é reconhecido por muitos especialistas em saúde da mente. Por isso o cuidado que a hipnoterapia dá aos pacientes com esse transtorno é essencial.

De acordo com a Hipnoterapeuta Rafaela Mendes, existem duas formas de abordagem para pacientes com TDAH, tanto para crianças como para os adultos. Cada uma vai depender do estágio do transtorno e dos resultados obtidos nos demais tratamentos feitos com o médico.

  • Parte emocional

Segundo Rafaela, os transtornos relacionados ao Déficit de Atenção tem ligação com questões emocionais.

Dessa forma, o hipnoterapeuta poderá atuar na busca dessas emoções na mente subconsciente do cliente, que é justamente onde ficam armazenadas as lembranças emocionais.

Rafaela afirma que é possível destravar as emoções e, dessa forma, controlar os efeitos do TDAH.

  • Convívio com o transtorno

Ainda segunda a hipnoterapeuta, existem casos em que os diversos tratamentos psicológicos e medicamentos não obtém um resultado tão positivo. Nessas situações, a hipnoterapia para TDAH vai ajudar o paciente a encontrar uma forma saudável de lidar com o transtorno no seu dia a dia.

Para quem procura por profissionais especialistas em lidar com hipnoterapia para TDAH, os profissionais formados pela OMNI Brasil são especialistas em garantir que o seu tratamento seja feito com a mais completa atenção e cuidado. Na OMNI Brasil, os hipnoterapeutas se especializam em diversas modalidades de tratamento, por isso possuem abordagens que são bem aceitas por quem possui TDAH.

Agora, se a sua vontade é ter uma vida realizada ajudando pessoas a ter mais tranquilidade e qualidade de vida, a formação de hipnoterapeutas da OMNI Brasil é o que você procura. Fale com um dos nossos especialistas e tire todas as suas dúvidas!