Vamos falar de trauma psicológico nos pequenos? Já percebeu como as crianças hoje em dia parecem apresentar sempre algum problema diferente? Medo disso, fobia daquilo, trauma daquilo outro e por aí vai. Embora seja comum perceber que as crianças sentem medo, é importante saber que isso é altamente prejudicial.

– Prejudicial? Mas como isso é possível se toda criança tem medo de alguma coisa? Isso é tão comum!

É o que eu vou te contar a partir de agora.

Nem sempre os pais percebem o quanto algum tipo de trauma pode prejudicar o desenvolvimento social e psicológico do seu filho, mas é importante saber como e o quanto esses “pequenos” traumas em crianças podem afetar a vida de uma pessoa.

Por exemplo:

Você, na posição de pai ou mãe, saberia resolver o trauma de falar em público do seu filho? E aquele medo irracional do escuro? Quem sabe a fobia de agulhas que faz com que cada vacina seja um show pior que o outro?

Difícil responder, não é mesmo?

Vamos por partes!

Antigamente, esses casos eram resolvidos com bronca, castigo e, dependendo da família, até mesmo surras. Isso porque os pais acreditavam que todos esses casos citados acima eram fruto de uma simples birra, preguiça ou até mesmo necessidade de atenção.

No entanto, ninguém se perguntava qual era o real motivo de todo aquele medo, trauma ou estranhamento.

As crianças são muito boas em demonstrar quando uma coisa não está bem, principalmente porque elas ainda não têm o “jogo de cintura” que os adultos possuem para fingir seus estados emocionais – O que já é um grande sinal de problemas originados lá na infância sabia?

Isso porque é na infância que o nosso cérebro está em total aprendizado, como uma locomotiva em potência total com o objetivo de reter o maior número de aprendizado possível. Além disso, é nesse período da vida que as crianças começam a desenvolver suas capacidades sociocognitivas.

Quer entender como isso acontece e o que pode resultar desses traumas psicológicos na infância? Então se liga no conteúdo que a OMNI Brasil preparou para te ajudar a identificar esses traumas em crianças e tratá-los de forma correta.

 

O que é um trauma?

Entenda uma coisa agora que estamos no começo para depois não dizer que eu não avisei:

O ser humano é formado por ensinamentos, experiências e vivências ao longo de toda sua vida. Algumas delas são boas e geram lembranças e aprendizados ricos e construtivos, mas existem àquelas que não oferecem as mesmas vantagens.

Para essas experiências damos o nome de traumas.

Dito isto, vamos entender uma questão semântica:

A palavra trauma tem relação com traumatismo, aquela lesão ou um tipo de ferida que foi produzida por uma ação violenta e de origem externa ao próprio organismo.

Como você leu, essa é a definição médica para um ferimento ou lesão física no corpo de alguém, mas no caso da nossa mente, “o buraco é mais embaixo”, se é que você me entende…

Quando falamos da nossa mente de uma perspectiva psicológica, um trauma é definido como a forma que uma pessoa reage aos eventos. Normalmente os traumas são experiências emocionalmente intensas e desagradáveis que não foram muito bem resolvidos na cabeça daqueles dos vivenciaram e acabaram desencadeando distúrbios psíquicos.

Dessa forma se instala uma marca permanente na mente do indivíduo: um trauma psicológico.

Desde o nosso nascimento, vivemos inúmeros traumas diariamente, acredite em mim! O mais complexo é que alguns nos afetam negativamente, outros mal nos fazem cócegas.

Os efeitos de um trauma psicológico diferem entre os indivíduos, já que suas experiências são completamente diferentes umas das outras. Ou seja, nem todas as pessoas que experimentam um evento potencialmente traumático se tornam psicologicamente traumatizadas.

Mas, e quando o trauma se instala na mente de uma criança? Como é que a gente lida com essa situação para evitar o prolongamento do caso e, principalmente, impedir que isso interfira na vida de uma criança?

Continua a leitura que eu te ajudo com isso!

Como um trauma impacta na nossa infância?

Para entender como um trauma psicológico nas crianças se forma, é preciso conhecer como funciona a mente dos pequenos. E quando eu falo de mente eu me refiro ao conteúdo que está dentro daquela massa cinzenta que chamamos de cérebro, viu?!

Afinal, é de lá que vêm os nossos desejos, opiniões, sentimentos, pensamentos e tudo enfim.

Muito bem!

Em todo o ser humano, a mente é formada por “partes” as quais chamamos de modelo da mente. Em cada uma dessas partes está o comando de uma determinada função do nosso corpo.

É delas, por exemplo, que sai a nossa vontade de chorar, nosso senso crítico (também chamado de Fator Crítico), os nossos sentimentos, as “ordens” para o funcionamento do nosso sistema nervoso e diversas outras funções.

No entanto, quando falamos em crianças, há algumas diferenças na formação da mente, afinal toda criança tem um potencial enorme de aprendizado e isso é o resultado da mente em constante evolução.

E foi só agora que eu entendi por que o potencial de aprendizado delas é surpreendente!

Os especialistas dizem que a mente dos pequenos, entre 0 e 7 anos, ainda não possui o Fator Crítico, que só vai se formar por completo a partir dos 12 anos.

Então, toda informação que chega até elas vai diretamente para o subconsciente e se torna uma crença, ou seja, algo que o subconsciente considera como o certo absoluto. Sobre isso, a hipnoterapeuta especializada na terapia de crianças, Barbara Scholl, falou o seguinte:

As crianças possuem crenças no subconsciente que foram postas ali por seus próprios pais, muitas delas negativas. A maioria dos pais não sabe que têm essa influência tão poderosa na vida de seus filhos, por acreditarem que eles ‘são muito novos’ para entender de determinado assunto.”

E os pais nessa história?

O que acontece quando os pais não tomam cuidado com o que dizem ou com o que fazem diante de seus filhos? A mente subconsciente dessas crianças fica cheia de crenças positivas ou negativas de outras pessoas, o que pode ser a origem de um trauma psicológico.

Como assim??

Sim, até mesmo a frase mais boba, como “as mulheres não sabem dirigir” pode gerar um trauma psicológico na mente de uma criança e isso terá efeitos por toda sua vida, caso não seja tratado adequadamente.

Pesquisas recentes afirmam que crianças pequenas, até mesmo bebês, podem ser afetadas por eventos que, de alguma forma, se instalaram no subconsciente e determinaram o que essa criança entenderia como certo e errado.

As famosas crenças.

Impactos que vão até a vida adulta

Nos adultos se ouve muito falar em estresse pós-traumático, que seria uma reação do corpo e da mente a uma situação na qual o nível de risco à vida era muito grande. Nesses casos, a terapia com profissionais especializados no estudo da mente é o mais indicado e, em algum tempo, o trauma é superado.

Mas quando falamos de crianças que carregam seus traumas psicológicos por toda vida, os resultados podem se tornar algo ainda mais prejudicial a vida de uma pessoa. Isso porque há grandes chances de ela desenvolver inúmeros tipos de transtornos, como:

  • Ansiedade;
  • Depressão;
  • Transtornos de comportamento;
  • TDAH e muitos outros.

Isso vai depender muito do amadurecimento psíquico de cada criança, mas é possível que traumas psicológicos levem um pouco mais de tempo para se resolver, principalmente se não há um acompanhamento de um terapeuta.

Com isso, muitos desses pequenos levam seus traumas consigo até a vida adulta e se tornam pessoas introspectivas, síndrome do pânico, emocionalmente dependentes, depressivas, ansiosas ou até mesmo doentes fisicamente.

Você está falando de doenças físicas?

Sim, é disso mesmo que eu estou falando!

Há casos em que os adultos descobrem que possuem doenças crônicas das mais variadas possíveis, como enxaquecas, problemas no fígado, nos rins, no estômago e em diversos outros lugares do corpo. Tudo porque um trauma lá da infância não foi resolvido como deveria.

A personalidade desses adultos também é algo muito diferente do “comum”, já que os efeitos do trauma psicológico de infância moldaram sua personalidade com base em tudo o que sua mente subconsciente aprendeu na infância e ao longo dos anos.

Além disso tudo ainda é bem possível que a pessoa que sofreu trauma psicológico quando criança tem grandes chances de se tornar uma pessoa com uma baixa autoestima e uma péssima relação social.

Tipos de traumas psicológicos da infância

É importante que você saiba que um trauma psicológico pode ter diversas causas e nem sempre é possível fazer com que uma criança fale sobre isso, já que, em muitos casos, ela mal se lembra.

Alguns tipos de traumas são muito comuns em crianças, por isso, separamos uma lista com alguns dos traumas mais frequentes que costumam aparecer nos consultórios. Eles o ajudarão a conhecer as causas de muitos problemas relacionados ao comportamento do seu pequeno, ainda durante a infância.

Acidentes – A criança que sofreu um acidente praticando esporte, andando de carro, se queimou por acidente ou até mesmo uma queda pode ter o seu psicológico abalado quanto ao sentimento de segurança. Isso pode configurar um trauma psicológico de infância.

Intimidação constante – É comum notar em crianças que sofreram bullying algum tipo de medo para se relacionar socialmente com outras pessoas. Uma criança intimidada por uma ou mais pessoas por muito tempo, normalmente na escola, pode se tornar um adulto violento e/ou introspectivo.

Separação dos entes queridos – Uma criança pode ser separada dos entes queridos por diversos motivos, tais como serviço militar dos pais, óbitos, divórcio, pena de prisão de um dos pais e até mesmo uma remoção judicial da criança diante de uma denúncia de abuso ou negligência.

Desastres naturais – No Brasil isso não é muito comum, embora aconteça, mas em países com incidência de furacão, tsunami, terremotos e outros desastres são frequentes no dia a dia. Diante disso, muitas crianças acabam se perdendo de seus pais e sofrem por isso posteriormente.

Traumas “sérios”

Abuso psicológico – A este caso se caracterizam diversas ações que tem o potencial de criar medo em uma criança ou que tenha potencial de prejudicar a dignidade e a integridade psicológica. Exemplos de abuso psicológico incluem:

  • ameaçar abandonar uma criança;
  • desprezo por parte dos familiares;
  • confinamento de uma criança;
  • praticar terrorismo psicológico.

Agressões – Qualquer agressão, seja ela deliberada ou com intensão de punir uma criança tem efeito altamente traumatizante na vida de uma criança. No entanto, agressão não é só o ato de ser violento, até mesmo o tratamento áspero pode ser considerado um tipo de agressão para uma criança.

Abuso sexual – Quando uma criança está envolvida em algum tipo de atividade ou comportamento sexual por um adulto ou alguém mais velho (podendo ser uma criança ou não). Nestes casos, o propósito do envolvimento da criança é para a satisfação sexual ou lucro financeiro apenas do adulto.

Negligência – É uma forma de abuso infantil, além de ser uma ameaça a sobrevivência da criança. Exemplos incluem falhas dos pais na criação, no fornecimento de alimentação, falta de roupas e abrigo necessários, deixar a criança sozinha por longos períodos.

Violência comunitária – Uma criança pode apresentar trauma psicológico quando presencia violência no ambiente em que vive. Pode ser um assalto, agressão física entre vizinhos, etc. Às vezes o simples fato de ouvir alguma situação mais violenta, já é motivo suficiente para gerar um trauma psicológico.

Achou tenso? Calma que eu tenho a solução!


Como evitar traumas em crianças?

Como você leu por aqui, os traumas psicológicos causados nas crianças normalmente têm origem nos pais ou no ambiente no qual elas estão inseridas. Por isso, o mais importante é ter cuidado com o que é dito diante das crianças, afinal, a cabecinha delas está livre de fator crítico e, por consequência, recebe crenças de outras pessoas.

Seja cuidadoso com o que é dito próximo das crianças. Evite falar coisas negativas, fazer acusações e, principalmente, xingamentos. Os pais são a maior fonte de exemplo e inspiração de uma criança, por isso, tudo o que for dito por você será replicado pelo seu filho.

Preste sempre muita atenção nas pessoas que estão sempre próximas dos seus filhos: vizinhos, parentes, amigos etc. às vezes, algum comentário, por mais inocente que possa parecer, se torna algo realmente prejudicial.

Tenha cuidado com o que seus filhos veem na televisão, na internet ou até mesmo dentro de casa. Muitas vezes uma propaganda despretensiosa na televisão é a responsável por plantar uma sementinha no subconsciente de uma criança que irá se desenvolver em um possível trauma psicológico.

Mantenha um ambiente de amor e carinho nas 24 horas do dia, seja dentro ou fora de casa. Especialistas afirmam que crianças que crescem em lares cheios de amor, carinho e atenção, tendem a ser adultos mais equilibrados, organizados, emocionalmente independentes e bem-sucedidos no trabalho.

Então, basicamente o segredo é manter a calma e dar o exemplo.

Trate o trauma psicológico em crianças com eficiência

Diante de uma situação como essa, o que fazer para garantir que um trauma psicológico já instalado na mente de uma criança seja tratado de forma eficiente e evite que o momento seja revivido por ela?

Simples!

Além do acompanhamento com um profissional especialista em psicologia infantil, vale a pena tentar utilizar outros tipos de tratamentos.

No Brasil existem especialistas em traumas psicológicos em crianças formado em hipnoterapia. Sim, hipnose!

Mas, calma porque não tem mistério!

O que acontece é que na hipnoterapia, seu filho será auxiliado por um hipnoterapeuta profissional a encontrar a raiz do seu trauma e, a partir daí, ambos encontrarão uma forma de superar esse problema de uma vez por todas.

Normalmente, as sessões de hipnose clínica em crianças costumam apresentar sucesso logo na primeira ida da criança ao consultório do hipnoterapeuta.

Sim, é surpreendente!

Ficou curioso, né? Eu sei.

Encontre um hipnoterapeuta especializado em crianças aqui e ajude seu filho a ter uma vida adulta mais tranquila.

Agora, se você busca conhecer um pouco mais sobre a hipnoterapia e quais os seus benefícios para a saúde das pessoas, dê uma olhada neste artigo aqui e esclareça suas dúvidas.