Os mitos sobre os exames que envolvem a prevenção e tratamento do câncer  de próstata afetam milhares de brasileiros, principalmente porque a cultura e as piadinhas machistas e de mau gosto favorecem o cenário, já que o Brasil é um dos países que mais perde vidas masculinas para o câncer de próstata.

Por isso a Sociedade Brasileira de Urologia aderiu à campanha Novembro Azul, para chamar a atenção da sociedade quanto à questão da saúde do homem. Essa é a segunda doença que mais mata homens no país, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, até 2030 serão 75 milhões de pessoas com a doença e mais de 17 milhões de mortes, principalmente nos países em desenvolvimento.

Ainda  segundo dados da OMS, a cada dia, 42 homens morrem em decorrência do câncer de próstata e aproximadamente 3 milhões vivem com a doença.

No Brasil, apesar dos avanços científicos, cerca de 25% dos pacientes com câncer de próstata ainda morrem da doença por conta  de um inimigo chamado: o preconceito . Isso porque os mitos e histórias contadas há gerações, tornam cada vez mais difícil detectar a doença ainda no início e obter sucesso no tratamento.

Se detectado no início, as chances de cura para pacientes com câncer de próstata chegam a 90%!

Os casos que chegam até os médicos atualmente estão em estágios mais avançados, embora haja uma queda nesse número por conta da campanha Novembro Azul.

No entanto, os mitos e as mentiras sobre o assunto prejudicam o diagnóstico precoce, e  é sobre isso que vamos falar agora!

  1. O cuidado masculino
  2. 10 mitos do câncer de próstata
  3. Como fazer o tratamento
  4. A hipnoterapia

Dá uma olhada no que vem por aí e não caia na mentira!

O cuidado masculino

Historicamente , os homens são considerados figuras viris e fortes e não seria adequado se submeterem a qualquer situação que colocasse em xeque sua masculinidade. As piadas e brincadeiras de mau gosto relacionando exames médicos à uma pseudo fragilidade sexual, prejudicam a saúde de milhares de homens.

É importante esclarecer que o câncer de próstata não possui uma ação preventiva no sentido de evitar a doença. O que existe são exames que podem acompanhar as taxas hormonais e, principalmente, o tamanho da próstata.

Afinal, embora o câncer de próstata possua  casos que se desenvolvem de forma rápida, a maioria dos doentes apresentou um avanço lento da patologia, cerca de 1 cm³ a cada  15 anos.

Os cuidados e acompanhamento médico deve iniciar a partir dos 50 anos para todos os homens, no entanto, para os homens negros, obesos mórbidos ou pacientes com casos em primeiro grau da doença na família, o acompanhamento médico deve ser feito desde os 45 aninhos.

Só que não é assim que a banda tem tocado…

Por ter um avanço lento, e principalmente por toda a questão do preconceito, os homens deixam de cuidar da própria saúde. E o pior, acreditam e disseminam mitos e mentiras sobre os exames e sobre a própria doença.

E, assim como o vício no cigarro que destrói os pulmões aos poucos, a falta de cuidado com a próstata segue o mesmo raciocínio.

Os mitos do câncer de próstata

Você certamente já ouviu alguma brincadeira sobre o assunto próstata. Afinal, são sempre as mesmas piadinhas sem graça que deixam os homens, em especial os mais velhos, desconfortáveis.

Muitos desses mitos são apenas mentiras causadas pela falta de informação, outros são por pura maldade e alguns são apenas dúvidas. Por isso nós  decidimos ajudar você a esclarecer esses mitos todos a partir de agora!

1.      Câncer de próstata é uma doença de velho

Mito né bebê?!

Primeiro vamos considerar o significado de velho, por favor! Velho é sempre aquilo que está ultrapassado e obsoleto, o que não se encaixa nas  pessoas. Quanto mais idade elas têm, mais experiência e aprendizado elas acumulam.

Então nem vem com essa de velho!

Segundo ponto:  embora o câncer de próstata seja uma doença com maior incidência em pessoas acima dos 50 anos, existem (muitos) casos de bem abaixo  dessa faixa etária que apresentaram a patologia (cerca de 40%). Portanto, homens de todas as idades podem desenvolver a doença.

 

2.      Ter um pai, irmão ou tio com a doença é um fator de risco

 

É verdade esse bilhete!

O câncer, de um modo geral , é uma patologia que se desenvolve a partir de células que se proliferam no corpo sem qualquer controle. Esse problema pode sim ser um fator  de risco a mais quando falamos em hereditariedade.

Mas calma que ninguém passa a doença de pai para filho, não.

Quando um pai ou  irmão desenvolve a doença, as chances de que você também a tenha são altas. O que gera a necessidade de acompanhamento médico desde os 40 anos.

3.      O tamanho do dedo indicador aponta o risco do câncer de próstata

 

Por mais incomum que pareça, é verdade.

De acordo com uma pesquisa britânica, homens com o dedo indicador  maior que o anular foram expostos a níveis menores de testosterona ainda no útero da mãe, o que pode ser um fator de proteção contra a doença.

Pasmem assim como euzinha de melo!

 

4.      Se eu fizer o exame de toque retal vou ser considerado gay

 

Rindo de nervoso… isso é um mito GIGANTE!

Não há  qualquer relação entre a homossexualidade e o exame de próstata conhecido como toque retal.

Esse é um dos motivos de tantas piadinhas entre os homens, afinal, o preconceito aliado ao machismo, alimentam essa MENTIRA de que ao fazer o exame de toque retal, o homem se “torna gay”.

Como se isso fosse um efeito colateral do exame.

Esse mito faz com  que milhares de homens more de câncer de próstata por não fazerem o acompanhamento médico adequado.

Anjo da minha vida, aprende com a titia: Ninguém se torna gay ao fazer exame de toque retal. Na verdade, ninguém se torna gay em qualquer outra situação, pra começo de conversa.

Então, para que tá feio!

 

5.      Homens negros estão mais propensos a desenvolver a doença

 

Mais uma para a lista de “É VERDADE ESSE BILHETE”

Infelizmente, os homens negros possuem uma incidência maior de desenvolverem o câncer de próstata. Estudos apontam que eles têm 60% mais chances de desenvolver a doença e uma taxa de mortalidade igualmente alta.

Isso se dá, principalmente por questões genéticas e peculiaridades presentes no DNA de afrodescendentes.

Nada a ver com qualquer questão racial, viu galera?!

 

6.      Atividade física pode auxiliar na prevenção e no tratamento do câncer de próstata

 

Atividade física auxilia em tudo, meu bem!

Durante a prática de atividades físicas o nosso corpo produz a série de hormônios que são extremamente benéficos à saúde.

Tais hormônios podem ajudar (e muito) na prevenção e tratamento do câncer de próstata. Isso porque fortalece o sistema imunológico, previne a obesidade (outro fator de risco), reduz o estresse e modifica os níveis de hormônios no organismo.

Ou seja, se mexe, meu anjo! Sua saúde só tem a ganhar com isso.

 

7.      O exame de toque retal é realmente necessário?

 

Eu acho que não precisa nem falar né?!

Sim, gente! O exame de toque retal é de suma importância para o diagnóstico correto da doença. Apesar do tabu (fruto das piadinhas e mentiras de mau gosto), o exame não causa qualquer dor. O diagnóstico do câncer de próstata é realizado, também, por meio do exame clínico (toque retal) associado ao exame de dosagem do PSA no sangue.

Então sim, meu anjo, é necessário se o seu médico achar que precisa!

 

8.      Já existe um exame que elimina a necessidade de fazer o toque retal?

 

Para a tristeza dos preconceituosos de plantão, não.

O exame de toque retal é considerado mundialmente fundamental para a detecção da doença, não só aqui nas terras de tupiniquins, mas no mundo todo. No entanto, embora a tecnologia tenha desenvolvido novidades para os exames de algumas patologia s, o exame que detecta o PSA, bem como o toque retal ainda são os mais indicados para acompanhar o crescimento da próstata.

 

9.      PSA alto é sinal de que tenho câncer de próstata?

 

Essa eu vou ter que dizer não!

Quando envelhece , a próstata masculina começa a aumentar. Este é um processo chamado hiperplasia prostática benigna e não está relacionada ao surgimento do câncer de próstata. O antígeno prostático pode sofrer alterações em diversas situações diferentes do câncer, mas isso não significa que o acompanhamento não deve ser feito.

10.  Pessoas que fazem o exame de toque retal são mais fortes

Eu poderia dizer que não, mas é verdade!

Diante de todas as brincadeiras de mau gosto que fazem sobre quem se submete ao exame de toque retal, é possível dizer que só um homem de verdade realiza este exame.

Não há dor, nem medo e muito menos qualquer tipo de incômodo ao fazer o exame, só o que vai existir é coragem de um verdadeiro homem!

Como fazer o tratamento?

Agora que você já conhece alguns dos maiores mitos e verdades sobre o câncer de próstata, fique atento ao modo como poderá fazer o tratamento da doença, caso seja diagnosticado.

O grande ponto em torno do tratamento está relacionado ao acompanhamento médico anual e periódico. Sem isso, fica muito difícil os médicos avaliarem o desenvolvimento de um possível caso de câncer de próstata no corpo.

E quando algo de minimamente suspeito foi encontrado por seu médico, o ideal é iniciar a investigação e o tratamento o quanto antes. Isso por acontecer por meio de uma variedade de métodos, tudo depende do estágio da doença e das prescrições do médico responsável.

Os tratamentos podem variar desde medicamentos via oral, como comprimidos, sessões de radioterapia e quimioterapia e até mesmo procedimentos cirúrgicos. Mas todos esses métodos promovem efeitos colaterais que, para dizer o mínimo, incomodam.

A hipnoterapia

A hipnoterapia é uma técnica desenvolvida há milhares de anos e que promove um autodescobrimento do próprio corpo e da mente. Por meio dela é possível “ensinar” o subconsciente a controlar as emoções e sensações causadas por doenças físicas e psicológicas, em como traumas como ansiedade, pânico etc.

Conheça melhor os benefícios da hipnoterapia para o câncer de próstata aqui.

Além disso, é possível garantir que o seu corpo consiga reproduzir os sentimentos de forma mais saudável, evitando assim qualquer problema de saúde decorrente de uma má interpretação da mente sobre uma determinada emoção.