Pessoa fazendo sessão de hipnoterapia

O lado sério da hipnose, conhecido também como hipnose clínica ou hipnoterapia, existe e pode tratar problemas sérios e reais. Não à toa, cada vez mais cientistas, pesquisadores e profissionais da saúde estão “hipnotizados” pela ferramenta. 

Se antes os hipnólogos apareciam apenas em cima do palco, com ar ilusionista, hoje, a hipnose já é aderida por médicos, psicólogos, dentistas e, principalmente, por aqueles que têm o propósito de mudar a mentalidade e transformar a vida de outras pessoas.  

A hipnoterapia consiste na aplicação de técnicas hipnóticas como ferramenta terapêutica, utilizada como auxílio para o tratamento de transtornos emocionais, físicos, psicológicos, hábitos e sentimentos indesejáveis. 

No Brasil e no mundo, a prática vem crescendo consideravelmente na atuação contra questões de somatização, ou seja, quando um determinado problema se agrava por conta de algum distúrbio emocional.  

Grande parte desses problemas são causados por eventos do passado, principalmente aqueles que aconteceram na infância. Por isso, é comum que as pessoas não consigam identificá-los, vezes por não se lembrarem que eles aconteceram, outras por não entenderem o tamanho do trauma ou peso que aquela situação gerou.   

É papel do hipnoterapeuta conduzir o indivíduo da maneira correta, para que ele possa identificar um determinado problema, confrontá-lo e, assim, tratá-lo. 

O que acontece em uma sessão de hipnoterapia?

Não existe uma fórmula única, cada hipnoterapeuta conduz a sua sessão de uma forma. Mas o que é importante dizer é que a hipnoterapia não é um tipo de terapia e sim uma ferramenta para auxiliar em tratamentos, concentração e foco. 

Então, independente da técnica utilizada, o objetivo é enfraquecer padrões subconscientes disfuncionais que costumam ser causa dos problemas emocionais. 

Hipnoterapia X mudança de mentalidade  

Para entender como a hipnose serve de ferramenta, é preciso ter a consciência de que nenhum problema está “fora”. Os problemas estão sempre dentro de você. Todos, são consequências de algo maior, algum trauma, crença ou evento passado, que precisa ser identificado, reconhecido e tratado.  

Veja agora alguns exemplos, entre tantos outros, que a hipnoterapia pode atuar: 

  • Obesidade

Para se ter ideia, mais da metade dos brasileiros estão acima do peso e muitos não conseguem reduzir medidas, o que pode ocasionar outras doenças relacionadas, além de desencadear problemas psicológicos, como baixa autoestima.  

Menos 40 quilos apenas mudando a mentalidade

“Sofri 15 anos com compulsão alimentar e efeito sanfona. Costumo falar que sou ex-dependente de remédios para emagrecer e isso não me trazia para a vida, corpo e saúde que eu queria. Então, depois de anos sofrendo com a obesidade e compulsão alimentar eu percebi que o que eu estava buscando tratarera é a ponta do iceberg. Na verdade, a obesidade era  a foto daquilo que eu sofria internamente. 

Se for temporário, o resultado também é temporário. Eu tive que mudar a minha forma de pensar para que o meu resultado fosse para sempre. É preciso identificar quais hábitos destrutivos você tem para que você mude. Se a gente quer transformação, não tem outro caminho a não ser mudar a mentalidade” – Flávia Monzanohipnoterapeuta OMNI. 

  • Vícios

O percentual de adultos fumantes no Brasil vem apresentando uma expressiva queda nas últimas décadas. Apesar do controle do tabacoainda assim os números são consideravelmente altos. Existem mais de um bilhão de fumantes no mundo e estima-se que eles consumam cerca de seis trilhões de cigarros todos os anos. 

Uma pessoa com vícios em uma determinada droga, possui dependência psicológica e emocional, o que faz com que a droga seja uma recompensa para alguma coisa.   

Neste caso, a hipnoterapia atua diretamente nos gatilhos subconscientes que fazem a manutenção do vício, permitindo, inclusive, que a pessoa não sofra com abstinências e outros efeitos como perda de apetite, ansiedade etc.  

  • Abusos e outros traumas 

Os números são assustadores, três crianças ou adolescentes são abusadas sexualmente no Brasil a cada hora. Abusos físicos e mentais causam traumas e consequências que podem levar a situações extremas, como sentimento de culpa, vícios, suicídios e até a replicação do próprio abuso, ainda que em menores proporções. 

O sistema líbico (mente emocional) não consegue identificar a diferença entre o ontem, hoje e amanhã, tudo é agora. Por isso, quando nos lembramos de uma situação traumática, automaticamente nos remetemos aos sentimentos ruins que carregamos desde então.  

A ciência já comprovou que as memórias são impossíveis de serem apagadas, porém a hipnoterapia é capaz de ressignificar as emoções, neutralizando traumas e toda a carga negativa. 

Eu tentei suicídio. Acreditava que eu era responsável por aquilo, e eu buscava situações que ajudavam a reforçar isso.  Passei também a abusar das pessoas, não sexualmente, mas de outra maneira. E depois que eu desconstruí isso na minha mente, até as pessoas ao meu redor perceberam a mudança” – Juliana Vargas, hipnoterapeuta e especialista em sexualidade. 

  • Medos e inseguranças

Insegurança é uma das expressões do medo, e esse sentimento está na lista das principais características que impedem uma pessoa de ser bem-sucedida.  

Assim como nas situações anteriores, as feridas adquiridas até hoje somatizam uma série de traumas e emoções em seu subconsciente. As dores que você, supostamente, deixou de lado resultam em medos e inseguranças.  

Esses sentimentos podem afetar todos os aspectos da sua vida, como o seu relacionamento, sua performance no trabalho e até a sua saúde  

A hipnoterapia é uma ferramenta valiosa para superar suas inseguranças, por meio do autoconhecimento e da eliminação das suas crenças limitantes, sua mente entenderá que agora os velhos padrões não são mais necessários 

  • Ansiedade e depressão

As duas doenças são consideradas os grandes temores do século. No tratamento pela medicina convencional, geralmente, são indicados antidepressivos de uso contínuo ou a longa prazo. Acontece que, em algumas situações, outros efeitos colaterais são identificados 

depressão e a ansiedade podem ocorrer devido as alterações neuroquímicas do cérebro. Durante as sessões de hipnoterapia (que pode ser apenas uma ou mais, dependendo da pessoa e da gravidade do problema), o indivíduo consegue analisar e eliminar a causa da sua ansiedade ou depressão, sem o uso de remédios.   

Se você nasceu com algum problema psicológico ou doença física, a hipnoterapia é complementar ao tratamento médico. Caso contrário, é importante entender que independente do fator que te impede de prosseguir, existem fortes influências emocionais relacionadas. E com a hipnoterapia é possível identificá-las para que você consiga transformar a sua mentalidade e, consequentemente, a sua vida.